Saúde e Bem-estar

Especialistas dos EUA sem consenso sobre eficácia de medicamento para o Alzheimer

Sofrem da doença cerca de 30 milhões de pessoas no mundo. 

Os Estados Unidos aprovaram o primeiro medicamento contra o Alzheimer em quase 20 anos. A decisão está a ser contestada pelos próprios especialistas, que dizem que os resultados não são extraordinários e que esta aprovação pode atrasar a pesquisa de um medicamento verdadeiramente eficaz.

Em 18 anos, o Aduhelm é o primeiro fármaco para Alzheimer aprovado pela autoridade norte-americana do medicamento e o primeiro que ataca o processo da doença e não apenas os sintomas como ansiedade ou insónias.

A boa notícia traz dúvidas à comunidade científica, que considera que não está demonstrada a eficácia no controlo da progressão da doença.

O ensaio clínico pode prolongar-se durante anos, enquanto o medicamento continua a ser comercializado com um preço entre 30 a 50 mil euros por ano.

Em todo o mundo, cerca de 30 milhões de pessoas sofrem da doença de Alzheimer.