Cultura

Harvey Weinstein faz acordos milionários para travar ações em Tribunal

Carlo Allegri

Produtor fechou acordo provisório com vítimas e credores no valor de 39 milhões de euros.

Harvey Weinstein está a fechar acordos milionários para travar ações em Tribunal nos EUA, Canadá e Reino Unido. De acordo com a imprensa norte-americana, os acordos estão relacionados com ações promovidas pelo então procurador-geral de Nova Iorque, Eric Schneiderman, com o objetivo de garantir indemnização das vítimas.

Harvey Weinstein, 67 anos, está acusado de ter violado uma mulher em 2013 e de tentado forçar um ato sexual com outra mulher em 2006.

O julgamento contra o produtor norte-americano Harvey Weinstein, acusado de vários crimes sexuais, incluindo violação, está agendado para o dia 09 de setembro, depois de ter sido adiado.

O produtor norte-americano, que se declara inocente, entregou-se a 25 de maio de 2018 às autoridades em Nova Iorque, no âmbito de uma investigação judicial sobre agressões e abuso sexual, tendo saído em liberdade com pulseira eletrónica, depois de pagar uma caução de um milhão de dólares (864 mil euros).

No total, mais de uma centena de mulheres testemunhou que o produtor de Hollywood tinha abusado sexualmente delas, um escândalo que desencadeou a campanha #MeToo, que levou à queda de centenas de homens em lugares de poder de numerosos setores.

Weinstein é acusado de assédio sexual, que incluiu atrizes como Ashley Judd, Angelina Jolie e Salma Hayek.

Depois das primeiras denúncias, Harvey Weinstein foi afastado da empresa norte-americana Weinstein Company, que cofundou, e banido de várias associações, nomeadamente da Academia de Cinema dos Estados Unidos, que atribui os Óscares.