Desporto

Advogados da mulher que acusa Neymar de violação abandonam caso

Aurelien Meunier - PSG

Na sexta-feira, o jogador brasileiro foi acusado de ter violado uma mulher, que apresentou uma queixa-crime na polícia de São Paulo.

Os advogados da mulher que apresentou queixa contra Neymar anunciaram ter abandonado o caso por considerarem que a cliente lhes mentiu dizendo que o futebolista a agrediu, sem nunca mencionar a violação, que assumiu perante a polícia.


A rede televisiva Globo divulgou, na segunda-feira à noite, uma carta na qual o advogado Cunha Bueno refere que a mulher "sempre disse que tinha tido sexo consentido com Neymar, que, entretanto, se tornou agressivo", sendo esse o foco da queixa.


"Por raiva ou por vingança, a senhora registou a queixa com alegados factos que estão em desacordo com o que nos disse, relatando ter sido vítima de violação, quando perante nós assumiu e demonstrou ter sido vítima de agressões", referiu o advogado.


Segundo a queixa, o incidente ocorreu em 15 de maio, às 20:20, num hotel de Paris, onde Neymar representa o Paris Saint-Germain.


A mulher diz que conheceu Neymar através de mensagens na rede social Instagram e que um representante do jogador lhe comprou os bilhetes de avião e um quarto de hotel em Paris.


Entretanto, o jogador publicou nas redes sociais na Internet mensagens privadas trocadas com a mulher que o acusou de violação, com o objetivo de demonstrar que está a ser alvo de uma cilada.

"Foi uma armadilha e acabei por cair. (...) A partir de agora vou expor toda a conversação que tive com a rapariga, todos os nossos momentos, que são íntimos, mas é necessário expô-los para provar que realmente não aconteceu nada de mais", afirmou o avançado do Paris Saint-Germain na conta oficial no Instagram.


Neymar está concentrado com a seleção do seu país com vista à participação na Copa América, que decorre no Brasil entre 14 de junho e 7 de julho.

Com Lusa

  • No coração da Amazónia
    10:18