Economia

Ministro das Finanças defende aumento do salário mínimo em 2021

MÁRIO CRUZ

Governo entende que "deve haver margem" para aumentar a remuneração mínima.´

O ministro das Finanças, João Leão, defendeu esta quarta-feira que no próximo ano deve haver margem para aumentar "com significado" o salário mínimo nacional, após uma negociação na Concertação Social.

"A nossa intenção é, no próximo ano prosseguir com o diálogo que tem de ser feito na Concertação Social, com o aumento do salário mínimo e que haja um aumento com significado", afirmou o ministro na Grande Entrevista, transmitida pela RTP3.

João Leão sublinhou que "houve setores muito afetados" pela crise da pandemia de covid-19 "e que há "muitos trabalhadores" a ganhar o salário mínimo, atualmente de 635 euros, mas o Governo entende que "deve haver margem" para aumentar a remuneração mínima.

Questionado sobre se o aumento em 2021 poderá ser ao nível do que foi aplicado este ano, de 35 euros, o ministro sublinhou, no entanto, que "o mundo mudou" com a pandemia e que por isso será necessário avaliar a situação das empresas.

Quanto aos salários da administração pública, João Leão afirmou que em 2021 haverá uma subida superior a 2% da massa salarial devido às progressões e à recuperação do tempo de serviço dos professores e das carreiras especiais.

  • 15:42