Economia

Reestruturação da TAP. "Já estava altamente desequilibrada, só não via quem não queria"

José Gomes Ferreira analisou também a saída de António Mexia e João Manso Neto da administração da EDP e a polémica da tecnologia 5G.

José Gomes Ferreira da SIC considera que é "perfeitamente compreensível" a posição do Sindicato dos Pilotos da Aviação Civil ao entregar uma providência cautelar para exigir informações prévias sobre o plano de reestruturação da companhia aérea TAP.

O editor de Economia da SIC defendeu na Edição da Noite que não lhes foi explicado quais são as projeções financeiras e de exploração económica que levam aos cortes na empresa.

"Isto não é uma negociação com os sindicatos. A natureza do projeto diz respeito a uma empresa que já estava desequilibrada e que tem um desencadeamento externo que é pandemia", disse.

O jornalista lembrou que "há muito tempo" que havia previsões para os cortes nos trabalhadores e nas rotas.

"A companhia já estava altamente desequilibrada, só não via quem não queria", afirmou na Edição da Noite, lembrando o prejuízo do ano passado, mesmo antes da pandemia.

José Gomes Ferreira reconheceu que o ministro das Infraestruturas e da Habitação, Pedro Nuno Santos, tem um desafio difícil, assim como as autoridades judiciais. Sobre o silêncio dos partidos, disse que os que votaram a favor da nacionalização da companhia estão calados porque sabem que tem de haver reestruturação.

O Sindicato dos Pilotos da Aviação Civil entregou esta segunda-feira uma providência cautelar para exigir informações prévias sobre o plano de reestruturação da companhia aérea TAP.

Na providência cautelar a que a SIC teve acesso, os pilotos acusam a empresa de estar a dar informações incompletas, insuficientes e enganosas sobre o plano e da empresa violar o direito à informação.

Os pilotos a TAP preveem o despedimento de 500 comandantes e redução dos salários em 25%.

Sobre a saída de António Mexia e João Manso Neto da administração da EDP considerou que foi uma "jogada" que antecipa a decisão judicial que se vai saber nos próximos dias.

"Os advogados já devem saber que a decisão não é favorável para ambos", afirmou.

Na Edição da Noite, José Gomes Ferreira analisou também a polémica sobre a nova tecnologia 5G, depois do Presidente da República ter recebido as operadoras esta segunda-feira, que estão preocupadas com as regras dos leilões 5G.