Economia

Programador perde password da Bitcoin e fica sem acesso a 180 milhões de euros

Dado Ruvic

O sistema da criptomoeda não permite restaurar palavras-chave, uma situação que deixa cerca de 20% das bitcoins inacessíveis.

Uma password é o que separa Stefan Thomas, um programador alemão que vive em São Francisco, de cerca de 220 milhões de dólares (181 milhões de euros). O problema é que Thomas não se lembra qual é.

O sistema de segurança da Bitcoin prevê a utilização de uma palavra-chave para desbloquear a chamada IronKey, um conjunto de códigos que permitem abrir a carteira virtual e aceder às moedas digitais. O sistema permite até 10 tentativas. Depois disso inicia um processo de encriptação total, bloqueando o acesso às criptomoedas adquiridas.

Thomas já utilizou oito das 10 hipóteses que tinha, mas sempre sem conseguir entrar na carteira digital onde tem perto de 7.000 bitcoins. “Fico deitado na cama a pensar nisso. Depois vou ao computador com uma nova estratégia, e não funciona e eu fico desesperado outra vez”, conta ao The New York Times.

A história de Thomas não é um caso único. Segundo uma análise realizada pela Chainalysis, uma empresa de dados de criptomoedas, cerca de 20% dos 18,5 milhões de Bitcoins existentes estão inacessíveis. Segundo os valores mais recentes, isso representa cerca de 140 mil milhões de dólares (115 mil milhões de euros).

Desde outubro, a Bitcoin tem vindo a valorizar significativamente, tendo ultrapassado os 30 milhões de euros, o valor mais alto alguma vez registado. Este aumento tem levado os investidores a procurar levantar o seu dinheiro, mas as passwords são, normalmente, um entrave. O Wallet Recovery Services, uma empresa que ajuda a encontrar acessos perdidos, tem recebido cerca de 70 pedidos de ajuda por dia, o triplo do que recebia há um mês.

Brad Yasar, um empreendedor de Los Angeles, passou pelo mesmo dilema: “Ao longo dos anos, passei centenas de horas a tentar voltar a estas carteiras”, conta a mesmo jornal. Yasar investiu na criptomoeda logo quando esta tecnologia apareceu, mas perdeu a password há vários anos. Os investimentos que fez ainda estão em disco externos, impossíveis de aceder. Colocou-os em sacos em vácuo, para não se estragarem, e guardou-os longe para evitar que se tornassem numa constante lembrança do dinheiro que Yasar podia ter e não tem.

Bitcoin pretendia ser um banco para todos

Este dilema das passwords está relacionado com a forma como a Bitcoin foi idealizada. O seu criador, uma figura misteriosa que se dá pelo nome de Satoshi Nakamoto, pretendia criar um banco digital onde toda a gente podia abrir uma conta sem que houvesse qualquer intromissão ou regulamentação por parte do Governo.

A estrutura desta criptomoeda é composta por uma rede de computadores regida por um algoritmo complexo. Segundo esse algoritmo, o utilizador pode criar um endereço e uma palavra-chave, mas os acessos são apenas conhecidos por quem os criou. A password é também confirmada pela rede da Bitcoin no momento de realizar transações, mas em momento algum a companhia tem possibilidade de ver ou aceder a esta password.

“Até investidores sofisticados têm ficado completamente incapacitados de fazer qualquer tipo de gestão dos seus acesso privados”, explica Diogo Mónica, co-fundador da startup Anchorage que ajuda companhias a tratar da segurança da criptomoeda, ao The New York Times.

Apesar de ter perdido o acesso, Stefan Thomas afirma que conseguiu gerir Bitcoins suficientes para uma vida com mais riqueza do que poderia imaginar. Enquanto não se lembrar da password, o programador decidiu guardar o disco onde tem o IronKey num sítio seguro, na esperança que os criptógrafos consiga identificar, no futuro, uma forma de desvendar as palavras-chave da Bitcoin. Até lá, tem de aceitar o investimento como estando perdido.

  • 1:13