Economia

Alfredo Casimiro acusa ministro das Infraestruturas de “mentira ou meias-verdades”

ANTÓNIO COTRIM/ LUSA

Num comunicado enviado às redações.

O acionista maioritário da Groundforce assegura que nunca enganou o Governo e diz que esteve sempre empenhado em encontrar uma solução para a empresa.

Num comunicado enviado às redações, Alfredo Casimiro afirma que as palavras do ministro das infraestruturas no Parlamento são mentira ou meias-verdades e acusa Pedro Nuno Santos de omitir o valor dos impostos entregues ao Estado durante a sua gestão: mais de 170 milhões de euros.

Casimiro garante que pagou 3,74 milhões de euros pelas ações da Groundforce e diz também que o contrato de compra e venda celebrado com a TAP foi aprovado pela Autoridade da Concorrência.

Pedro Nuno Santos acusa Alfredo Casimiro de enganar o Estado e admite vários cenários para a Groundforce

O ministro das Infraestruturas e da Habitação, Pedro Nuno Santos, acusa Alfredo Casimiro de tentar enganar o Estado e o país.

Em audição Parlamentar, Pedro Nuno Santos criticou a privatização da Groundforce e explicou que o acionista ganhou mais de sete milhões de euros até 2018 e que só depois comprou a empresa por muito menos.

Relativamente ao futuro da Groundforce, garantiu que a TAP não tem uma posição fechada sobre a participação na Groundforce, mas admite vários cenários.

Sobre o empréstimo de 30 milhões de euros, Pedro Nuno Santos explicou que houve documentos que não foram entregues e que o avanço dependia dos Ministérios das Finanças e Economia. No entanto, lembrou que a TAP injetou, nos últimos meses, mais de 12 milhões de euros na Groundforce.

Veja também: