Economia

Mecanismo ibérico já permitiu poupanças no gás entre 2,3% e 34,8%

Mecanismo ibérico já permitiu poupanças no gás entre 2,3% e 34,8%
Medida colocou um travão aos preços no mercado do gás usado para produzir eletricidade.

O mecanismo ibérico que colocou um travão aos preços no mercado do gás usado para produzir eletricidade gerou poupanças entre os 2,3% e os 34,8%, nos dias 17 de julho e 7 de julho, respetivamente, segundo dados divulgados esta terça-feira.

Num comunicado, o ministério do Ambiente e da Ação Climática disse que "a Direção-Geral de Energia e Geologia (DGEG) publica a partir desta quarta-feira, 10 de agosto, pelas 16:00 (depois do fecho dos mercados), informação diária, incluindo fins de semana e feriados (dados publicados no dia útil seguinte), referente ao mecanismo ibérico de desacoplamento do preço do gás do preço da eletricidade".

Segundo estes dados da DGEG, desde o dia 15 de junho, quando começou a ser aplicado o mecanismo, houve poupanças diárias que oscilam entre os 2,3% (5,62 euros/MWh, ou seja, euros por megawatt-hora) e os 34,8% (105,76 euros/MWh).

Assim, no primeiro caso, que aconteceu no dia 17 de julho, o preço com o mecanismo foi de 238,30 euros/MWh, sendo que sem esta medida seria de 243,92 euros/MWh.

Dez dias antes, no dia 7 de julho, o preço com a poupança foi de 197,50 euros euros/MWh face aos 303,26 euros euros/MWh com o mecanismo.

A tutela indicou ainda que, para esta quinta-feira, "regista-se no Mercado Ibérico de Eletricidade o valor de 150,19 euros/MWh, a que se somam 126,21 euros/MWh do ajustamento (valor provisório), o que resulta em 276,40 euros/MWh".

Este valor "compara com o valor de 311,43 euros/MWh caso não existisse mecanismo ibérico, traduzindo, assim, uma redução de 35,03 euros/MWh gerada pela medida, correspondente a uma poupança superior a 11%", referiu.

Os preços que resultam da aplicação do mecanismo, e os que se praticariam se a medida não tivesse sido implementada, passam a poder ser consultados no portal da DGEG" assim como "o histórico da aplicação da medida aprovada pela Comissão Europeia a 8 de junho de 2022, que permite que, entre 15 de junho de 2022 e 31 de maio de 2023, se desligue a formação do preço da eletricidade na Península Ibérica do preço do gás natural que se pratica hoje no mercado, salvaguardando as especificidades dos dois países em matéria de mercado da eletricidade.

"Com esta publicação diária é conferida maior transparência e visibilidade à aplicação da medida, bem como aos benefícios que a mesma tem gerado, e continuará a gerar, na economia e para os consumidores", referiu, adiantando que "o mecanismo ibérico permite fixar um preço de referência para o gás natural consumido para a produção de eletricidade (40 euros por MWh nos primeiros seis meses de aplicação, valor incrementado mensalmente à razão de cinco euros por MWh até 31 de maio de 2023), com base no qual se obtém um valor significativamente mais baixo no mercado ibérico de eletricidade".

Segundo o Governo, com esta medida, "de natureza excecional e temporária", "os consumidores expostos à escalada de preço que se verifica no mercado veem o preço que pagam pela eletricidade reduzir-se face ao cenário sem mecanismo", as "centrais termoelétricas são compensadas na medida do diferencial entre o preço de mercado do gás natural e o valor de referência fixado pelo mecanismo" e as "restantes centrais, com tecnologias com custos de produção menores, veem os seus lucros aleatórios e inesperados - acima de qualquer expectativa de mercado pré-crise - serem limitados".

Últimas Notícias
Mais Vistos