Economia

Ministro da Economia diz que não se podem "ignorar os sinais" para 2023

Loading...
António Costa Silva insta os países europeus a se preparem para o pior, caso a Rússia corte o fornecimento de gás à Alemanha.

António Costa Silva antecipa um ano muito difícil em 2023, mas não revela as previsões do Governo. Avisa que a economia portuguesa vai começar a abrandar já no final deste ano. O ministro diz ainda que os países europeus têm de preparar-se para o pior, caso a Rússia corte o fornecimento de gás à Alemanha.

Apesar do crescimento da economia portuguesa que, segundo o ministro, deverá rondar os 6,4% e 6,5% - “um crescimento notável, o maior da crescimento da Zona Euro” – é preciso estar alerta porque “os sinais” não trazem nada de bom para 2023.

A economia da Alemanha, que é chamada de motor da Europa e é também o principal destino das exportações portuguesas, já começou a abrandar e vai mesmo entrar em recessão no inverno. O aviso foi feito esta segunda-feira pelo próprio Banco Central da Alemanha.

Números concretos, o ministro não revela - apesar da insistência do Presidente da Republica. O Governo só deverá dar a conhecer as previsões daqui a três semanas.

A Comissão Europeia, o FMI e a OCDE preveem para Portugal um crescimento inferior a 2% no próximo ano e uma inflação entre os 3 e os 4%. No entanto, as contas ainda não incluem os efeitos da recessão alemã.

Últimas Notícias
Mais Vistos