Economia

"A Galp deve ir ao mercado comprar o gás", a solução do Governo para a empresa

"A Galp deve ir ao mercado comprar o gás", a solução do Governo para a empresa
RODRIGO ANTUNES

Duarte Cordeiro diz que a fatura do gás para os clientes da Galp não deverá aumentar.

O principal fornecedor de gás à Galp foi claro quando anunciou “reduções substanciais” de produção e fornecimento. Porém, o Governo rejeitou qualquer redução nas entregas e ainda considerou a informação "alarmista e desadequada". Agora a partir de Luxemburgo, o ministro do ambiente, Duarte Cordeiro, avisa que "o preço do gás caiu" e sugere uma solução à empresa petrolífera: "deve ir ao mercado comprar o gás".

"Estamos numa fase em que o preço do gás caiu", começa por explicar Duarte Cordeiro. "Se a Galp tem falhas de entregas, deve ir ao mercado comprar gás", sugere.

Muitos países já têm o armazenamento de gás preenchido e verifica-se um aumento da oferta, face à procura. Esclarece, ainda que, a fatura do gás para os clientes da Galp não deverá aumentar por causa das falhas de entrega por parte da Nigéria.

"Duvido que o impacto [nas faturas] seja muito significativo, que o preço do gás está bastante mais baixo do que esteve e tem estado muito baixo nas últimas semanas".

O ministro do Ambiente realça que a empresa Galp tem a responsabilidade legal no que toca ao fornecimento de gás no mercado regulado.

“A empresa Galp terá que comprar para satisfazer os clientes e, naturalmente, aquilo que são as suas responsabilidades legais com a tarifa regulada e comprar no mercado do gás”, disse esta terça-feira.

MECANISMO IBÉRICO

Falando aos jornalistas portugueses no Luxemburgo, no final de uma reunião dos ministros da Energia da UE em que foi apresentada uma análise sobre esta eventual extensão aos restantes 25 Estados-membros do mecanismo ibérico, Duarte Cordeiro admitiu a "dúvida se, em determinados países com perfis de produção diferentes" aos da Península Ibérica, este sistema traria vantagens.

"Portugal e Espanha têm um volume muito grande de renováveis e, portanto, isso também significa que é mais fácil aplicar um mecanismo ibérico onde exista um peso elevado da produção de renováveis", recordou.

O ministro do ambiente destacou um "mecanismo de solidariedade" e reforçou os benefícios do mecanismo ibérico.

O "mecanismo de solidariedade" aplica-se quando Estados-membros apresentam algum tipo de necessidade urgente.

Duarte Cordeiro frisou as vantagens do acordo entre Portugal e Espanha, especialmente quando comparamos o preço de mercado que seria se não tivéssemos o mecanismo.

A Comissão Europeia apresentou um estudo no qual concluiu que a eventual extensão do mecanismo ibérico à UE permitiria uma poupança de 13 mil milhões de euros, mas alertou para um aumento no consumo de gás, para eventuais fuga destes benefícios para países terceiros ligados ao mercado europeu e para a necessidade de financiamento adicional aos Estados-membros que não dispõem de tantas fontes renováveis no seu cabaz energético.

Bruxelas ressalva ainda que, "ao preço atual do gás - cerca de 60 euros por MWh -, esta medida não produziria quaisquer resultados".

Últimas Notícias
Mais Vistos