Abusos na Igreja Católica

Denúncias de abusos na Igreja continuam a aumentar, vítimas querem pedido de perdão

Loading...

São já mais de quatro centenas as denúncias que chegaram à Comissão Independente que investiga abusos sexuais na Igreja Católica.

Continuam a chegar denúncias à Comissão Independente que investiga os abusos na Igreja Católica portuguesa. Até ao momento, foram validadas 424 queixas contra membros do Clero, sendo que o destino de 30 delas pode ser o Ministério Público.

A Comissão Independente para o Estudo dos Abusos Sexuais contra as Crianças na Igreja Católica Portuguesa, que está no ativo desde dezembro do ano passado e é coordenada pelo pedopsiquiatra Pedro Strecht, apresentou esta terça-feira um novo balanço sobre o número de denúncias de abusos sexuais cometidos contra menores.

"Há 424 testemunhos recolhidos pelas diversas formas englobadas no trabalho da Comissão. O número mínimo de vítimas será muitíssimo maior do que as quatro centenas e os abusos compreendem todas as formas descritas na lei portuguesa", afirmou o pedopsiquiatra Pedro Strecht, assinalando porém que “a maior parte das situações encontra-se juridicamente prescrita” mas as vítimas ainda querem um pedido de perdão.

Deste total, 30 casos reportados já estão em análise e podem seguir para o Ministério Público, tal como já tinha acontecido com 17 casos no passado mês de junho.

E os casos que envolvem D. José Ornelas?

Questionado sobre o bispo D. José Ornelas, que preside à Conferência Episcopal Portuguesa, “o nosso estudo tem a ver com membros da Igreja Católica portuguesa”, vincou Pedro Strecht.

A verdade é que, além do caso de encobrimento de vários casos de abusos num orfanato em Moçambique contra um padre dehoniano, há também um caso relacionado com um padre da paróquia de Fafe.

Sobre esse caso de alegado encobrimento pelo bispo D. José Ornelas, a Conferência Episcopal Portuguesa (CEP) disse desconhecer a investigação do Ministério Público, salientando ainda sobre que a primeira denúncia do caso teve lugar em 2003 e foi alvo de uma averiguação interna por parte da Congregação dos Padres Dehonianos (a cuja congregação o sacerdote em causa pertencia), tendo a alegada vítima negado qualquer abuso. "A mesma [alegada vítima] reconfirmou a sua posição em 2014, em tribunal", acrescentou a CEP.

As denúncias e testemunhos podem chegar à comissão através do preenchimento de um inquérito 'online' em darvozaosilencio.org, através do número de telemóvel +351917110000 (diariamente entre as 10:00 e as 20:00), por correio eletrónico, em geral@darvozaosilencio.org e por carta para "Comissão Independente", Apartado 012079, EC Picoas 1061-011 Lisboa.

Últimas Notícias
Mais Vistos