Eleições Autárquicas

Empate técnico em Lisboa: há 20 anos, a vitória de Santana Lopes surpreendeu todos

Canva

Nas eleições de 2001, Santana Lopes e João Soares tinham um surpreendente empate técnico nas sondagens do arranque da noite eleitoral. Depois de uma noite longa, o PSD venceu com menos de um ponto percentual de diferença. Este ano, a noite parece repetir-se com Medina e Moedas.

As projeções para a Câmara de Lisboa colocam Fernando Medina e Carlos Moedas num empate técnico: Medina apresenta entre 31,3 e 36,3% e Carlos Moedas poderá ter entre 30,2 e os 35,2%.

A história das autárquicas na capital mostra uma tendência de crescimento da direita à medida que são contabilizados os votos, o que poderá aumentar ainda mais a expectativa para esta noite.

Uma noite que promete ser longa, tal como foi em 2001, a única vez em que a Câmara de Lisboa registou um empate técnico. Na altura, Pedro Santana Lopes liderava a candidatura do PSD e João Soares a do PS.

A surpresa chegou já tarde, com uma surpresa: Santana Lopes alcançava a vitória na capital por 41,98%, a menos de um ponto percentual do PS, que chegou aos 41,70%.

► A luta por Lisboa

Fernando Medina tem vindo a perder votos ao longo dos anos. Em 2017 - a primeira vez que foi a eleições, depois de ter substituído António Costa na presidência da Câmara - perdeu a maioria absoluta.

No entanto, nessas últimas eleições, o PS conseguiu ficar a mais de 20 pontos percentuais do CDS (que ficou em segundo) e mais de 30 do PSD. O resultado social-democrata foi um dos piores de sempre na capital.

Se o PS ganhar a Câmara de Lisboa, os partidos de esquerda já anunciaram estar disponíveis para apoiar o executivo de Medina. No entanto, se Carlos Moedas vencer, a maioria poderá ser mais difícil de encontrar.

A presidência será sempre da lista mais votada e não há geringonça que salve Medina, caso fique em segundo lugar.

ACOMPANHE AO MINUTO A NOITE ELEITORAL