Eleições Autárquicas

Autárquicas: Marcelo Rebelo de Sousa descarta crises políticas

O chefe de Estado lamentou a taxa de abstenção nas autárquicas.

De acordo com os resultados eleitorais, Marcelo Rebelo de Sousa reforça que esta não é uma altura para crises políticas. Numa conferência sobre o futuro do turismo, em Coimbra, o Presidente da República considerou inevitável que se discursa a reforma do Estado até às legislativas de 2023.

Marcelo Rebelo de Sousa lamentou a taxa de abstenção verificadas nas eleições autárquicas de domingo, que rondou os 46%. O Presidente da República adverte que o voto é a arma do povo.

Quando confrontado com a pergunta sobre a eventual necessidade de remodelar o Governo, Marcelo foi claro:

"Os próximos anos são fundamentais. Portanto, crises políticas não fazem sentido. Naquilo que depender do Presidente da República, importa que haja Orçamento para o ano que vem".

O chefe do Estado avisa que há necessidade de passar das palavras aos atos, no que toca ao novo aeroporto de Lisboa.

"Confesso que não me anima a ideia de ver terminado o meu segundo mandato presidencial, sem que uma matéria, que vinha de mandato presidencial anterior tenha sido equacionada"

Dando o exemplo de outros períodos históricos, o Presidente da República considera que, usar agora como pretexto, questões conjunturais, pode levar o país a perder mais uma oportunidade de crescer.

VEJA TAMBÉM: