Confrontos no Irão

ONU quer responsabilizar o Irão pela violência na resposta às manifestações

Loading...

O Irão já disse que não reconhece a missão independente aprovada pela ONU para investigar a violenta repressão aos protestos no país.

O Irão não reconhece a missão independente aprovada, esta quinta-feira, pela ONU para investigar a violenta repressão aos protestos no país. O objetivo da missão é reunir provas que possam, mais tarde, servir para julgar os responsáveis.

O Irão diz que as forças de segurança lidam com os desordeiros com a máxima contenção, mas as imagens dos protestos mostram uma realidade diferente.

Apesar das criticas, a missão vai avançar para recolher e analisar provas de violações dos direitos humanos cometidas pelo regime iraniano desde o início dos protestos.

Esta crise foi desencadeada pela morte de Mahsa Amini, detida por alegado uso incorreto do véu. Um episódio, garante a ONU, que as autoridades iranianas ainda não esclareceram, pelo menos de acordo com os padrões de internacionais de independência e imparcialidade.

De acordo com as Nações Unidas, desde o início das manifestações já morreram mais de 300 pessoas, incluindo 40 crianças. Cerca de 14 mil foram detidas, pelo menos duas mil acusadas de vários crimes pela participação nos protestos. Até agora, seis dos acusados foram condenados à morte.

Últimas Notícias
Mais Vistos