Coronavírus

Greve Climática Estudantil cancelada devido ao coronavírus

Johanna Geron

Concentração estava agendada para sexta-feira.

Especial Coronavírus

As manifestações da Greve Climática Estudantil que estavam marcadas para sexta-feira por todo o país foram canceladas devido à pandemia de Covid-19, anunciou hoje a organização do movimento em Portugal.

Em comunicado, a organização justifica o cancelamento com o contexto dos últimos acontecimentos relacionados ao novo coronavírus e pela "responsabilidade social para com a saúde pública".

"Ouvimos a ciência e os especialistas e, apesar de sabermos que os jovens são os menos afetados por este vírus, reconhecemos a importância de agirmos em solidariedade com aqueles que são mais vulneráveis", é referido.

Na quarta-feira, a ativista sueca Greta Thunberg já tinha lançado um apelo para que a próxima greve climática mundial fosse digital, face aos receios relativos ao surto de Covid-19 e às recomendações para evitar multidões.

Face aos riscos associados ao novo coronavírus e às recomendações das autoridades para que sejam evitadas multidões e eventos com grande número de pessoas, a adolescente sueca pediu nas redes sociais aos seus seguidores nas redes sociais para manterem "os números em baixo e o espírito em alta".

Greta Thunberg disse que o desafio é encontrar novas formas de criar atenção pública em defesa de mudanças que não envolvam potenciar a formação de grandes aglomerados de pessoas.

A ativista sueca sugeria que na sexta-feira cada um publicasse fotos suas online com os seus cartazes, sugerindo ainda algumas palavras-chave (hashtags) que podiam usar, como #DigitalStrike (#GreveDigital) ou #ClimateStrikeOnline (#GreveClimáticaOnline).

Os jovens ativistas portugueses tinham anunciado no início de fevereiro a sua adesão à greve climática estudantil global. Lisboa, Porto, Aveiro, Penafiel e Pico eram as localidades com manifestações confirmadas em dia de greve às aulas.

Veja também: