Coronavírus

Navio cruzeiro isolado no Brasil após passageiro apresentar sintomas do coronavírus

Beto Barata

O navio transportava 318 passageiros e 291 tripulantes.

Especial Coronavírus

Um navio cruzeiro foi isolado no Brasil, na quinta-feira, após um passageiro canadiano de 78 anos se sentir mal durante o desembarque na cidade do Recife e apresentar sintomas semelhantes aos do novo coronavírus.

O navio, que tem bandeira das Bahamas, ficará retido no país até pelo menos o resultado do exame ao passageiro com sintomas ser conhecido. Segundo informações das autoridades locais, o navio transportava 318 passageiros e 291 tripulantes.

O passageiro que se sentiu mal foi inicialmente diagnosticado com sinais de enfarte, mas os profissionais de saúde que o atenderam observaram sintomas semelhantes à Covid-19 e o homem seguiu para o Hospital Português, na área central do Recife.

A Agência de Vigilância Sanitária (Anvisa) brasileira enviou uma equipa ao navio para verificar as condições sanitárias e suspendeu o desembarque dos outros passageiros. Em comunicado, a Secretaria de Saúde de Pernambuco, estado brasileiro cuja capital regional é a cidade do Recife, informou que além de suspender novos desembarques de passageiros solicitou às agências de turismo o retorno dos que já tinham saído do cruzeiro.

"O porto do Recife notificará a Secretaria de Portos e Transportes Aquaviários, vinculada ao Ministério de Infraestrutura, e por ora providenciou o isolamento do cais. Como medida de prevenção e controlo sanitário complementar, a gestão portuária também proibiu que o lixo da embarcação fosse descarregado", concluiu o comunicado.

Os 'media' brasileiros informam que o país tem pelo menos 151 casos confirmados de Covid-19. Este número foi atualizado hoje a partir de balanços divulgados pelas secretarias estaduais de Saúde e pelo Hospital Albert Einstein e deve ser consolidado num boletim diário do Ministério da Saúde brasileiro.Na tarde de quinta-feira, o Governo brasileiro confirmou oficialmente 76 casos e o Ministério da Saúde disse estar a monitorizar 1.427 casos suspeitos.

O novo coronavírus responsável pela Covid-19 foi detetado em dezembro, na China, e já provocou mais de 4.900 mortos em todo o mundo, levando a Organização Mundial de Saúde (OMS) a declarar a doença como pandemia.

O número de infetados ultrapassou as 131 mil pessoas, com casos registados em mais de 120 países e territórios, incluindo Portugal, que tem 112 casos confirmados.

A China registou nas últimas 24 horas oito novos casos de infeção pelo novo coronavírus (SARS-CoV-2), o número mais baixo desde que iniciou a contagem diária, em janeiro.

Até à meia-noite de quinta-feira (16:00 horas de quarta-feira, em Lisboa), o número de mortos na China continental, que exclui Macau e Hong Kong, subiu para 3.176, após terem sido contabilizadas mais sete vítimas fatais. No total, o país soma 80.813 infetados.

A Comissão Nacional de Saúde informou que até à data 64.111 pessoas receberam alta após terem superado a doença.

Face ao avanço da pandemia, vários países têm adotado medidas excecionais, incluindo o regime de quarentena inicialmente decretado pela China na zona do surto.

A Itália é o caso mais grave depois da China, com mais de 15.000 infetados e pelo menos 1.016 mortos, o que levou o Governo a decretar a quarentena em todo o país.

Veja também: