Coronavírus

Bélgica vai aplicar isolamento geral

Yves Herman

A partir desta quarta-feira.

Especial Coronavírus

A Bélgica vai aplicar a partir de quarta-feira o isolamento geral da população que deverá vigorar, em princípio, até 05 de abril, para conter a pandemia de Covid-19, decidiu hoje o Conselho Nacional de Segurança.

A medida afetará a quase totalidade do comércio e apenas ficam excluídos de encerramento os supermercados, bancos, estações de serviço de combustíveis, farmácias e estações de correio.

No entanto, os transportes públicos vão continuar a funcionar, para facilitar as deslocações de pessoas que continuam a ter que deslocar-se para locais de trabalho ou que visitam familiares que necessitem de apoio, indicou a radiotelevisão pública francófona RTBF.

As reuniões permanecem proibidas e em relação ao exercício físico nos espaços abertos será permitido correr ou utilizar a bicicleta mas unicamente tendo como companhia uma outra pessoa que viva na mesma casa.

Para o mais, será necessário manter uma distância de segurança de 1,5 metros com qualquer outra pessoa. Este confinamento começará na quarta-feira ao meio-dia e está previsto que se prolongue até 05 de abril, quando a situação será reavaliada.

A polícia está encarregue de fazer respeitar "de forma estrita" a decisão, segundo a RTBF. Na reunião do Conselho Nacional de Segurança participaram a primeira-ministra, Sophie Wilmès, diversos ministros, representantes das entidades federais e responsáveis dos serviços de segurança.

A decisão foi adotada após uma análise do relatório de peritos do designado "Grupo de gestão de riscos".

A Bélgica registou hoje 185 novos casos da Covid-19, aumentando para 1.243 o número total de infetados, segundo informou o Serviço Público Federal.

Dez pessoas já morreram devido à pandemia, cinco delas nas últimas 24 horas.

O coronavírus responsável pela pandemia da Covid-19 infetou mais de 189 mil pessoas, das quais mais de 7.800 morreram.Das pessoas infetadas em todo o mundo, mais de 81 mil recuperaram da doença.

O surto começou na China, em dezembro, e espalhou-se por mais de 146 países e territórios, o que levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar uma situação de pandemia.

Os países mais afetados depois da China são a Itália, com 2.503 mortes para 31.506 casos, o Irão, com 988 mortes (16.169 casos), a Espanha, com 491 mortes (11.178 casos) e a França com 148 mortes (6.633 casos).

Face ao avanço da pandemia, vários países adotaram medidas excecionais, incluindo o regime de quarentena e o encerramento de fronteiras.

Veja mais: