Coronavírus

Mais de 80 músicos e atores atuam a partir de sexta-feira no HomeStage Festival

Dezenas de espetáculos foram cancelados em Portugal deixando os artistas em situações precárias.

Especial Coronavírus

Mais de 80 músicos e atores, de vários países, incluindo Portugal, atuam, de casa para o mundo, a partir de sexta-feira, no âmbito do HomeStage Festival, que visa a chamar a atenção para a precariedade no setor dos espetáculos.

O HomeStage Festival, que decorre entre sexta-feira e 01 de abril, conta, de acordo com a organização, com "mais de 60 nomes alinhados, representando 11 nacionalidades", que irão atuar em "'streaming' a partir de seis países, nas áreas de música e teatro".

Este festival, criado neste formato tendo em conta a situação vivida em Portugal devido à pandemia da Covid-19, "tem como propósito, a consciencialização geral acerca da situação precária vivida pelos artistas e restantes profissionais do espetáculo no contexto atual que se vive por todo o globo".

Nas últimas semanas, dezenas de espetáculos de música, teatro, dança, mas também festivais e digressões nacionais foram adiadas e, em alguns casos, canceladas, em Portugal por causa das medidas restritivas decretadas pelo Governo, e mais tarde, pela declaração de estado de emergência.

"A produção e o acesso à cultura são ainda mais essenciais nestes tempos desafiantes", refere a organização em comunicado.

Ao longo dos seis dias do festival, "serão incentivados os donativos voluntários e diretos a cada artista, ou a causas escolhidas [por eles], através de MBWay, PayPal ou IBAN".

Programa até 1 de abril

As atuações, que terão uma duração máxima de meia hora, iniciam-se às 16:00 de sexta-feira, com o músico Bruno Pato.

As atuações irão suceder-se de meia em meia hora, até às 22:30, hora em que começará a última, do músico Sebastião Antunes.

Para sexta-feira, estão também marcadas as atuações de Grame Pullyen (que atua a partir do Reino Unido), Daniel Schvetz (Argentina), Joana Figueira, Monáxi, Najla Shami (Espanha), Miguel Calhaz, Pedro Diogo, Casuar, Carlos Clara Gomes e Luiz Caracol.

Até 1 de abril irão atuar, entre outros, Carlos Alberto Moniz, Rua Direita, Rapaz Improvisado, Cláudia Fonseca (Brasil), Luís Travassos, Davide Zaccaria e Maia Anadon (Itália), Fernando Terra (Brasil), André Varandas, Lúcio Vieira (Angola), Rita Laranjeira, João Paulo Oliveira, Little Orange, Luca Fiori (Reino Unido), Sarah Linhares (Canadá) Barry White Gone Wrong (Bélgica), St. James Park, Caio, Fast Eddie Nelson, Beto Kalulu (Angola), Chico Lobo (Brasil), Flávio Torres, Lisa Reis (Cabo Verde), Madalena Palmeirim, Manuel Linhares, Jorge Rivotti e Ivy.

O cartaz completo, com dias e horas das atuações, estão disponíveis na página do HomeStage Festival, na rede social Facebook.

O mais recente balanço da pandemia

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já infetou perto de 428 mil pessoas em todo o mundo, das quais morreram mais de 19.000.

Depois de surgir na China, em dezembro, o surto espalhou-se por todo o mundo, o que levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar uma situação de pandemia.

O continente africano registou 64 mortes devido ao novo coronavírus, ultrapassando os 2.300 casos.

Dos países lusófonos, apenas São Tomé e Príncipe não tem, até ao momento, registo de contágio pelo novo coronavírus.

A Itália, que registou a primeira morte ligada ao coronavírus no final de fevereiro, tem 6.820 mortes em 69.176 casos. 8.326 pessoas são consideradas curadas pelas autoridades italianas.

Espanha superou esta quarta-feira a China em número de mortes por Covid-19. O total ascende agora a 3.434 vítimas mortais - 738 nas últimas 24 horas -, mais 153 que na China. É o segundo país com mais vítimas mortais, só atrás de Itália.

Os países mais afetados depois de Itália e Espanha são a China com 3.281 mortes para 81.218 casos, Irão com 2.077 mortes (27.017 casos), França com 1.100 mortes (22.302 casos) e Estados Unidos com 600 mortos (55.225 casos).

Desde as 19:00 de terça-feira, Camarões e Níger anunciaram as primeiras mortes relacionadas ao vírus. Líbia, Laos, Belize, Granada, Mali e Dominica anunciaram os primeiros casos.

A Europa totalizou até às 11:00 de hoje 226.340 casos (12.719 mortes), a Ásia 99.805 casos (3.593 mortes), Estados Unidos e Canadá 57.304 casos (624 mortes), Médio Oriente 32.118 casos (2.119 mortes), América Latina e Caraíbas 7.337 casos (118 mortes), Oceânia 2.656 casos (nove mortes) e África 2.382 casos (64 mortes).

Sobe para 43 o número de mortos por Covid-19 em Portugal, quase 3 mil casos

Em Portugal, a Direção-Geral da Saúde (DGS) anunciou esta quarta-feira a existência de 43 mortes e 2.995 casos de Covid-19.

O número de óbitos subiu de 33 para 43 em relação ao último balanço da DGS, enquanto o número de infetados aumentou de 2.362 para 2.995, mais 633 relação a ontem, uma subida que representa um aumento de 26,7%.

Há, ao todo, 22 casos recuperados a registar,

Portugal, onde os primeiros casos confirmados foram registados no dia 02 de março, encontra-se em estado de emergência desde as 00:00 de 19 de março e até às 23:59 de 02 de abril.

SIGA AQUI AO MINUTO AS ÚLTIMAS INFORMAÇÕES SOBRE A PANDEMIA DE COVID-19

Veja também: