Coronavírus

Emigrantes detidos em Chaves por furar quarentena com multas até 6 mil euros

Mohamed Abd El Ghany

Os quatro emigrantes foram hoje condenados.

Especial Coronavírus

Os quatro emigrantes de Ribeira de Pena detidos na quarta-feira em Chaves por desobediência à quarentena foram hoje condenados a multas entre os 1.800 e os 6.000 euros, disse à Lusa fonte judicial.

Segundo a mesma fonte do Tribunal Judicial de Chaves, no distrito de Vila Real, dois dos detidos, empresários da área da construção civil, com empresas a laborar em Portugal, França e na Bélgica com mais de 100 trabalhadores, foram condenados a uma multa de 6.000 euros cada.

Os outros dois detidos, funcionários daqueles empresários, receberam uma pena de multa de 1.800 euros cada, acrescentou.Após a sentença, um dos condenados explicou à Lusa que quando regressaram a Portugal decidiram alugar uma casa na região de Ribeira de Pena para "cumprir a quarentena" e "proteger os familiares", saindo "apenas para fazer compras".

"No primeiro dia que chegámos tivemos a visita da GNR para nos notificar da quarentena. Perguntámos se havia alguma forma de receber comida, alguma empresa de entregas, como UberEats e Glovo, e disseram-nos que não havia nada", contou.

Segundo o empresário, que foi um dos condenados a 6.000 euros de multa, os quatro foram de carro a Chaves para fazerem compras, mas apenas um saiu da viatura e "devidamente protegido com máscara, luvas e gel desinfetante".

O arguido pediu ainda que haja um melhor esclarecimento por parte das autoridades e que este caso deve ser visto "pelo lado positivo", pelo facto de terem "alugado casa para fazer quarentena e não contaminar ninguém".

"Perante esta situação era urgente esclarecerem as pessoas que estão a regressar a Portugal em relação à compra de alimentos e informar se podem ou não sair de casa para comprar comida", vincou.

Os quatro homens, que trabalham na Bélgica, foram detidos pela PSP de Chaves por "desobediência e desrespeito à quarentena que foi imposta", disse na quarta-feira à Lusa fonte da força policial.

Segundo o comandante da divisão de Chaves, Luís Alves, os emigrantes, com residência em Ribeira de Pena e com idades entre os 19 e 46 anos, entraram em território português dia 22 de março e foram notificados pela GNR presente na fronteira a permanecer em quarentena durante os 14 dias determinados por lei.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da Covid-19, já infetou mais 480 mil pessoas em todo o mundo, das quais morreram perto de 22.000.

Em Portugal, registaram-se 60 mortes, mais 17 do que na véspera (+39,5%), e 3.544 infeções confirmadas, segundo o balanço feito hoje pela Direção-Geral da Saúde, que identificou 549 novos casos em relação a quarta-feira (+18,3%).

Dos infetados, 191 estão internados, 61 dos quais em unidades de cuidados intensivos, e há 43 doentes que já recuperaram.Portugal, onde os primeiros casos confirmados foram registados no dia 02 de março, encontra-se em estado de emergência desde as 00:00 de 19 de março e até às 23:59 de 02 de abril.

Veja também:

  • Renovação do estado de emergência decidida hoje

    Coronavírus

    O Governo reúne-se esta tarde em Conselho de Ministros extraordinário no Palácio da Ajuda. Ao que a SIC apurou, o encontro vai servir para analisar os termos da renovação do estado de emergência. A decisão será tomada até ao final do dia pelo Presidente da República, depois de falar com o primeiro-ministro e já com o parecer positivo do Governo. Portugal regista 160 mortes e 7.443 casos de Covid-19. Siga aqui ao minuto as últimas informações sobre a pandemia.

    Direto

    SIC Notícias