Coronavírus

G20 vai injetar 5 biliões de dólares na economia mundial

Presidente da Coreia do Sul em videoconferência com os restantes membros do G20.

PRESIDENTIAL OFFICE / HANDOUT

As 20 maiores economias mundiais querem "contrariar as consequências sociais, económicas e financeiras da pandemia" de covid-19.

Especial Coronavírus

Os dirigentes de países membros do G20 anunciaram hoje a intenção de injetar "mais de cinco biliões de dólares" na economia mundial para "contrariar as consequências sociais, económicas e financeiras da pandemia" de covid-19.

"Estamos firmemente decididos a apresentar uma frente unida contra essa ameaça comum", referiram os representantes das grandes potências mundiais num comunicado divulgado após uma reunião extraordinária por videoconferência, presidida pelo rei Salman da Arábia Saudita.

A reunião ocorreu numa altura em que os países mais desenvolvidos adotam medidas para atenuar os efeitos da pandemia nas suas próprias economias, como aconteceu com a Alemanha e com os Estados Unidos, por exemplo.

As 20 maiores economias mundiais anunciaram também que vão trabalhar com as organizações internacionais "para aplicar um conjunto de medidas financeiras sólidas, coerentes, coordenadas e rápidas".

Os membros do G20 apelaram a instituições como a Organização Mundial de Saúde e o Fundo Monetário Internacional (FMI) para "ajudarem os países emergentes e em desenvolvimento a enfrentarem os impactos sanitários, económicos e sociais da covid-19".

Os países que integram o G20 são os Estados Unidos, Rússia, China, França, Alemanha, Reino Unido, Argentina, Austrália, Brasil, Canadá, Índia, Indonésia, Itália, Japão, México, Coreia do Sul, África do Sul, Turquia, Arábia Saudita e União Europeia.

Coronavírus provoca cerca de 22 mil mortos em todo o mundo

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já infetou perto de 480 mil pessoas em 182 países e territórios, das quais mais de 22.000 morreram.

Mais de 250 mil casos de Covid-19 diagnosticados na Europa

Com 258.068 casos, 14.460 mortais, a Europa é atualmente o continente mais atingido pela pandemia, à frente da Ásia (100.937 casos e 3.636 mortes), foco inicial do surto.

Para tentar conter o surto, os governos da UE estão a adotar medidas como o confinamento dos cidadãos e o fecho ou controlo de fronteiras, tendo ainda sido adotada uma suspensão das viagens (nomeadamente as aéreas) não essenciais.

Mais 17 mortes e 549 casos de Covid-19 em Portugal

A Direção-Geral da Saúde (DGS) anunciou esta quinta-feira a existência de 60 mortes e 3.544 casos de Covid-19 em Portugal.

O número de óbitos subiu de 43 para 60 em relação ao último balanço da DGS, enquanto o número de infetados aumentou de 2.995 para 3.544, mais 549 relação a ontem, uma subida que representa um aumento de 18,3%.

Há, ao todo, 43 casos recuperados a registar, mais 21 que ontem.

SIGA AQUI AO MINUTO AS ÚLTIMAS INFORMAÇÕES SOBRE A PANDEMIA DE COVID-19

Veja também: