Coronavírus

Covid-19: Morreu o "músico prodígio" Wallace Roney aos 59 anos

Mark Von Holden/ AP

O trompetista norte-americano tocou com nomes como Miles Davis e Herbie Hancock.

Especial Coronavírus

O trompetista norte-americano Wallace Roney, que tocou com nomes como Miles Davis e Herbie Hancock, morreu na terça-feira em Nova Jérsia (EUA), aos 59 anos, em consequência da doença Covid-19, revelou a assessora do músico em comunicado.


Wallace Roney é descrito como um "músico prodígio", começou a aprender trompete aos 6 anos, aos 12 tornou-se no mais novo instrumentista de um ensemble da orquestra de Filadélfia, cidade onde nasceu em 1960.


Passou pela banda de Art Blakey e privou com alguns dos maiores nomes do jazz, entre os quais Dizzie Gillespie, Ornette Coleman e Miles Davis, considerado uma das referências do trompetista.


A ligação ao trompetista fez com que Wallace Roney participasse em 1991 no célebre concerto de Miles Davis no festival de jazz de Montreux (Suíça), editado depois em álbum e premiado com um Grammy.


Quando Miles Davis morreu, Wallace Roney juntou-se ao designado grupo VSOP, de tributo ao trompetista, e do qual faziam parte Herbie Hancock, Ron Carter, Tony Williams e Wayne Shorter.


Wallace Roney, que formou o seu próprio grupo em 1993, atuou por várias ocasiões em Portugal, nomeadamente nos festivais Funchal Jazz, Guimarães Jazz, Estoril Jazz.


Da discografia do músico fazem parte, entre outros, "Verses", a estreia em 1987, "Mistérios" (1994), que inclui algumas versões de temas brasileiros, "Home", de 2012, e "Blue Dawn", de 2019.


SIGA AQUI AS ÚLTIMAS INFORMAÇÕES SOBRE A PANDEMIA DE COVID-19