Coronavírus

Novo tratamento para a Covid-19 pode basear-se na recolha de plasma de pessoas recuperadas

Andreas Gebert/ Reuters

Empresas do setor farmacêutico e terapêutico unem esforços para encontrar uma terapêutica hiperimune contra a doença provocada pelo novo coronavírus.

Especial Coronavírus

Várias empresas do setor farmacêutico e terapêutico, a nível internacional, juntaram-se para encontrar um tratamento para a Covid-19, que passa por recolher plasma de pessoas que tenham contraído a doença e estejam totalmente recuperadas, foi hoje anunciado.


Para acelerar o desenvolvimento de uma terapêutica hiperimune contra a doença provocada pelo novo coronavírus, será necessária a doação de plasma dessas pessoas que tenham recuperado e cujo sangue contenha anticorpos capazes de combater o novo vírus.


Em comunicado hoje divulgado foi anunciado que as empresas Biotest, BPL, LFB e Octapharma se uniram à Aliança formada pela CSL Behring e pela Takeda Pharmaceutical Company Limited, com o intuito de desenvolver uma terapêutica derivada do plasma para o tratamento da Covid-19.


"A Aliança inicia-se de imediato com a investigação de uma imunoglobulina policlonal hiperimune anti-SARS-CoV-2 com potencial para tratar as complicações graves derivadas da Covid-19", lê-se no documento.


Pretende-se com a conjugação de esforços "acelerar o desenvolvimento de uma opção terapêutica segura, escalável e sustentável para que os cuidadores possam tratar todos os doentes que sofrem com o impacto da Covid-19".


Outras empresas e instituições ligadas ao plasma são convidadas a juntarem-se a esta Aliança.


Os especialistas começarão "de imediato" a colaborar em aspetos como a recolha de plasma, o desenvolvimento de ensaios clínicos e o fabrico.


"Uma vez coletado, o plasma ´convalescente´ é transportado para as instalações de fabrico destas empresas, nas quais é submetido a processos patenteados - entre os quais processos eficazes de inativação e eliminação de vírus - para purificação do produto", indicaram os autores da iniciativa.

SIGA AQUI AS ÚLTIMAS NOTÍCIAS SOBRE A PANDEMIA DE COVID-19

ESPECIAL CORONAVÍRUS