Coronavírus

Fundação Gates vai investir mais 138 milhões de euros no combate à Covid-19

Elaine Thompson

Fundação Bill & Melinda Gates é a maior doadora privada da Organização Mundial da Saúde.

Especial Coronavírus

A Fundação Bill & Melinda Gates anunciou na quarta-feira que vai investir mais 150 milhões de dólares (138 milhões de euros) no combate à pandemia da covid-19, com novas bolsas para criação de vacinas, medicamentos e diagnósticos.

A fundação, sediada em Seattle, nos Estados Unidos, já tinha anunciado no passado 100 milhões de dólares para ajudar a dar resposta à pandemia, duplicando agora mais do valor a aplicar em tratamento e diagnóstico e no apoio a países do sul da Ásia e de África a lidar com esta crise.

Num comunicado, a fundação afirma ainda que vai usar os recursos do fundo de investimento estratégico da fundação, de 2,5 mil milhões de dólares (2,29 mil milhões de euros).

A copresidente da fundação, Melinda Gates, disse que os líderes mundiais devem unir-se para garantir que os diagnósticos, vacinas e tratamentos estejam disponíveis de forma justa.

A Fundação Bill & Melinda Gates é o segundo maior contribuidor em valor absoluto, atrás dos Estados Unidos, e o maior doador privado da Organização Mundial da Saúde (OMS).

Na terça-feira, o Pesidente dos Estados Unidos, Donald Trump, anunciou que iria suspender a contribuição anual para a OMS (cerca de 300 milhões de euros), alegando que a organização de saúde das Nações Unidas está a fazer uma má gestão da crise provocada pela pandemia da covid-19, protegendo a posição chinesa.

As reações da comunidade internacional não demoraram, vindas de todos os continentes, genericamente condenando a posição do Governo norte-americano, sobretudo por acontecer em plena pandemia, quando a concertação internacional na área da saúde é mais importante.

Bill Gates também se pronunciou sobre a decisão, considerando-a "perigosa durante uma crise global de saúde", notando que se o trabalho da organização das Nações Unidas ficar constrangido, não haverá opções.

A nível global, a pandemia de covid-19 já provocou mais de 131 mil mortos e infetou mais de dois milhões de pessoas em 193 países e territórios. Mais de 436 mil doentes foram considerados curados.

ACOMPANHE AQUI AO MINUTO TODA A INFORMAÇÃO SOBRE A COVID-19

ESPECIAL NOVO CORONAVÍRUS

  • Um Presidente sem tempo a perder

    Opinião

    Donald Trump foi o pior Presidente dos EUA em 90 anos. Joe Biden tem o maior desafio do último século americano - mas está, nestes primeiros dias, a mostrar que pode estar à altura do que a maioria clara lhe pede.

    Germano Almeida