Coronavírus

"Se tivesse de apontar uma data para o regresso do ténis, diria janeiro de 2021"

Kai Pfaffenbach

Depois do primeiro dia de treinos, Nadal conta como tem superado os tempos de confinamento.

Especial Coronavírus

Com as competições desportivas das diferentes modalidades, suspensas durante cerca de dois meses, devido à propagação do novo coronavírus, o alívio de algumas medidas restritivas por parte dos Governos, após uma diminuição exponencial do impacto da pandemia nos números diários, ditou o regresso aos treinos de muitos atletas.

É o caso de Rafael Nadal, tenista espanhol, de 34 anos, que voltou a bater bolas na segunda-feira, no campo de ténis de um amigo.

A passar a quarentena em Manacor, município de Maiorca, em Espanha, Nadal revelou, numa entrevista ao diário espanhol ABC, quais são as suas perspetivas para o regresso da competição, como viveu o confinamento e o que espera do futuro, após a passagem do surto.

O espanhol, que estava afastado dos courts desde fevereiro, em tom de brincadeira garantiu que "não estava um desastre" porque realizou "treino físico" em casa e admite que agora tudo tem de ser feito com extremo cuidado, de forma a cumprir todas as medias sanitárias de segurança, para não colocar ninguém em risco.

NÃO FOI FÁCIL "CONVIVER TODOS OS DIAS COM NOTÍCIAS NEGATIVAS"

Para Nadal as "duas primeiras semanas (de confinamento) foram complicadas", por ter sido apanhado de surpresa com toda a situação, pelo o facto de "conviver todos os dias com notícias negativas", relacionadas com o impacto do coronavírus em Espanha, e principalmente por se aperceber que não iria conseguir alcançar os seus objetivos desportivos.

Disse que é nestas alturas de dificuldade que se vê "quem são as boas e más pessoas" e admite que os espanhóis estão a ter "sentido de responsabilidade" e a mostrar "solidariedade" a quem mais precisa. "Sei que nos temos de adaptar e aprender lições", confessou o tenista.

"Quero que nos possamos voltar a abraçar, a reunir e a trabalhar, sem medo. Fala-se de uma nova normalidade. Eu quero uma antiga normalidade"

"Voltaremos a abraçar-nos. Esta será a nossa maior vitória"

"Se tivesse de apontar uma data para o regresso do ténis, diria janeiro de 2021"

Entende que o regresso do desporto deveria ter sido feito de forma "individualizada", com planos para cada modalidade, uma vez que no ténis, por exemplo, não existe praticamente contacto com o adversário, ao contrário do futebol.

Apesar de querer voltar a jogar "o mais rápido possível", aponta um regresso da competição internacional para "janeiro de 2021", uma vez que, apesar de ser uma modalidade em que os intervenientes não mantêm contacto físico, é um desporto "global" em que os jogadores viajam por muitos países e passam por muitos "hotéis".

O último balanço do Ministério da Saúde espanhol aponta para a existência de 25.613 mortes e 219.329 casos de Covid-19 no país.

ACOMPANHE AQUI AO MINUTO AS INFORMAÇÕES SOBRE A PANDEMIA DE COVID-19