Coronavírus

Foals, cabeças-de-cartaz do SBSR, adiam digressão europeia para 2021

.foals.co.uk

A promotora Música no Coração não tem confirmação do adiamento anunciado pela banda.

Especial Coronavírus

Os britânicos Foals anunciaram hoje que adiaram para 2021 a digressão que estava prevista para este verão na Europa, mas não há qualquer referência ao concerto em julho no festival Super Bock Super Rock (SBSR).

De acordo com a página oficial do grupo, vários concertos que estavam agendados para este ano foram adiados para 2021, por causa da covid-19, nomeadamente datas nos Reino Unido, França, Holanda, Alemanha e Suíça.

Os Foals foram a primeira banda a ser anunciada, em novembro passado, para o festival SBSR, marcado para julho próximo, em Sesimbra.

Contactada pela agência Lusa, fonte da promotora Música no Coração disse não ter confirmação do adiamento anunciado pela banda.

O festival SBSR está anunciado para os dias 16 a 18 de julho, perto da praia do Meco, Sesimbra, e os Foals são apresentados como um dos cabeças-de-cartaz, juntamente com nomes como ASAP Rocky, Brockhampton e Red Orange County.

Vários eventos cancelados por causa da Covid-19

Por causa da pandemia da covid-19, e das medidas de segurança para a conter, milhares de espetáculos têm sido adiados a nível global.

Do calendário português de festivais de verão há vários eventos que também já foram cancelados ou adiados, nomeadamente o Rock in Rio Lisboa, o Boom Festival e o Festival Músicas do Mundo.

Na semana passada, vários empresários e promotores de espetáculos e de festivais de música tiveram uma audiência com o primeiro-ministro, António Costa, mas no final não revelaram o que vai acontecer ao calendário de eventos.

Já o primeiro-ministro afirmou, primeiro no Twitter e depois numa entrevista na RTP, que o Governo iria procurar “soluções que minimizem os impactos da crise provocada pelo covid-19 no setor”, e que havia uma "enorme probabilidade" de os festivais não acontecerem este ano.

Na audiência estiveram presentes os promotores Álvaro Covões, Roberta Medina, Luís Montez, João Carvalho, Filipe Lopes e Jorge Lopes.

Mais 15 mortes e 480 infetados com Covid-19 em Portugal

A Direção-Geral da Saúde (DGS) anunciou esta quarta-feira a existência de 1.089 mortes e 26.182 casos de Covid-19 em Portugal.

O número de óbitos subiu, de ontem para hoje, de 1.074 para 1.089, mais 15 - uma subida de 1,4% -, enquanto o número de infetados aumentou de 25.702 para 26.182, mais 480, o que representa um aumento de 1,9%.

O número de casos recuperados subiu de 1.743 para 2.076, mais 333 do que no dia anterior.

Há 838 doentes internados, 136 encontram-se em Unidades de Cuidados Intensivos.

Mais de 257 mil mortos e mais de 3,6 milhões de infetados em todo mundo

A pandemia de covid-19 já matou 257.687 pessoas e infetou mais de 3.675.860 em 195 países.desde que surgiu em dezembro na cidade chinesa de Wuhan, segundo um balanço da AFP às 11:00.

Pelo menos 1.138.800 pessoas foram consideradas curadas pelas autoridades de saúde.

Os Estados Unidos, que registaram o primeiro morto ligado ao novo coronavírus no final de fevereiro, lideram em número de óbitos e casos, com 71.078 e 1.204.475, respetivamente.

Pelo menos 189.791 pessoas foram declaradas curadas pelas autoridades de saúde dos Estados Unidos.

Depois dos Estados Unidos, o país mais afetado é agora o Reino Unido, com 29.427 mortos e 194.990 casos, seguido por Itália com 29.315 mortos (213.013 casos), Espanha com 25.857 mortos (220.325 casos) e França com 25.531 mortos (170.551 casos).

A China (sem os territórios de Hong Kong e Macau), onde a epidemia começou no final de dezembro, contabilizou 82.883 casos (dois novos entre terça-feira e hoje), incluindo 4.633 mortos (nenhuma nova) e 77.911 curados.

Até às 11:00 de hoje, a Europa totalizou 148.068 mortos para 1.609.203 casos, Estados Unidos e Canadá 75.199 mortos (1.266.435 casos), América Latina e Caraíbas 15.413 mortos (286.837 casos), Ásia 9.754 mortos (259.469 casos), Médio Oriente 7.220 mortos (196.826 casos), África 1.909 mortes (48.897 casos) e Oceânia 124 mortos (8.202 casos).