Coronavírus

Banco de Inglaterra prevê uma queda de 14% do PIB britânico

Matt Dunham

A pandemia de coronavírus matou mais de 30 mil pessoas no Reino Unido, o segundo país mais afetado do mundo depois dos Estados Unidos.

Especial Coronavírus

O Banco de Inglaterra prevê para este ano uma queda histórica de 14% do Produto Interno Bruto (PIB) do Reino Unido devido ao choque económico provocado pela pandemia de Covid-19, e manteve a taxa de juro em 0,1%.


Mesmo assim, no relatório trimestral, o Banco de Inglaterra prevê uma "forte" recuperação em 2021 com uma projeção de 15%.


Há duas semanas, Gertjan Vlieghe, membro do Comité Político e Monetário da instituição, previa que o Reino Unido ia conhecer uma recessão "mais rápida e profunda do que tudo o que se viu no século passado", por causa da pandemia.


A projeção para 2020 está em conformidade com as previsões demonstradas pelo Gabinete do Orçamento (Office for Budget Responsability), um organismo público que alertou para uma possível queda de 13% do PIB durante o corrente ano.


Quando a previsão foi divulgada hoje de manhã, a libra, que estava em queda em relação ao dólar norte-americano, subiu ligeiramente.


Às 07:00, libra valorizou cerca de 0,25% em relação ao dólar.


Sobre a inflação, o Banco da Inglaterra reduziu previsões para 0,6% em 2020 e 0,5% em 2021.
Segundo a mesma previsão, o aumento dos preços deve chegar a 2% em 2022.


O Banco da Inglaterra publicou igualmente um relatório sobre estabilidade financeira, no qual considera que o sistema financeiro britânico possui capital "mais do que suficiente" para absorver as perdas causadas pela pandemia de covid-19.


Se a queda do PIB vier a ser maior do que a prevista no "teste de stress" realizado em 2019, "o sistema bancário tem capacidade para apoiar a economia britânica" e continuar a conceder empréstimos, garante a instituição.


O Banco da Inglaterra já tinha efetuado cortes na taxa de juros duas vezes em março e aumentou o programa de recuperação de ativos em 200 mil milhões de libras.


Além dos apoios à atividade económica, através da política monetária, o Banco da Inglaterra concedeu um mecanismo de pagamento ao governo concedendo uma autorização especial para o uso de 20 mil milhões libras para financiar o programa.

ACOMPANHE AQUI AO MINUTO AS INFORMAÇÕES SOBRE A PANDEMIA DE COVID-19

ESPECIAL CORONAVÍRUS