Coronavírus

Curta-metragem luso-brasileira "Mulheres em Quarentena" compete no Festival Corona

"Mulheres em Quarentena", de Bárbara Tavares.

Corona Film Festival

Festival online criado na Alemanha em tempo de pandemia do novo coronavírus.

Saiba mais...

O filme luso-brasileiro“Mulheres em Quarentena”, de Bárbara Tavares, está em competição no Festival de Curta-Metragem Corona, criado na Alemanha em tempo de pandemia da covid-19, e que está a decorrer online, disse a realizadora.

O filme, com cinco minutos de duração, divide-se entre duas mulheres isoladas em casa com os filhos por causa da covid-19, uma delas a viver em Brasília, no Brasil, e a outra em Lisboa.

Em nota de imprensa, a realizadora explica que as duas mulheres “tiveram liberdade para filmar o que julgassem representativo dos seus dias e os seus sentimentos vivendo a quarentena”.

“Mulheres em Quarentena” é um dos 35 filmes de vários países que está em competição no Corona Short Film Festival, o primeiro festival de curtas-metragens criado em tempo de isolamento social, por causa da covid-19.

O festival, de acesso gratuito e 'online', é uma iniciativa de um grupo de profissionais alemães de cinema, e só foram aceites filmes feitos em isolamento, inéditos, sem terem tido qualquer exibição em redes sociais ou noutras plataformas.

Segundo a organização, haverá prémios monetários, entre 1.500 euros e 500 euros, a atribuir por um júri e pelo público em votação 'online', que termina no domingo.

Os filmes premiados terão futura distribuição e vendas internacionais, numa parceria da organização com o festival Interfilm Berlin.

Apesar de sublinhar que o festival não tem fins lucrativos, a organização do Corona Short Film Festival sugere donativos dos participantes para a organização Médicos Sem Fronteiras.

Bárbara Tavares é uma realizadora e produtora brasileira que vive no Porto, onde fez um mestrado em cinema documental.

É autora dos filmes “O Gigante do Papelão” (2010), “Hermógenes, Professor e Poeta do Yoga” (2015) e “Bom Caminho” (2017), rodado em Portugal.

Mais 16 mortos e 228 novos casos de Covid-19 em Portugal

A Direção-Geral da Saúde (DGS) anunciou esta quarta-feira a existência de 1.263 mortes e 29.660 casos de Covid-19 em Portugal.

O número de óbitos subiu, de ontem para hoje, de 1.247 para 1.263, mais 16, enquanto o número de infetados aumentou de 29.432 para 29.660, mais 228, o que representa um aumento de 0,8%.

O número de casos recuperados subiu de 6.431 para 6452, mais 21 do que ontem.

Há 609 doentes internados, menos 20 do que no dia anterior. 93 encontram-se em Unidades de Cuidados Intensivos, menos 8.

Ministra da Saúde avisa que pode vir a ser necessário um “reconfinamento”

Marta Temido admitiu que o país poderá ter de enfrentar um novo confinamento se a situação da pandemia assim o exigir.

Mais de 323 mil mortos e mais de 4,9 milhões de infetados em todo o mundo

A pandemia do novo coronavírus já matou pelo menos 323.370 pessoas e infetou mais de 4.910.110 em 196 países e territórios desde o início da epidemia, em dezembro de 2019 na cidade chinesa de Wuhan. segundo um balanço da agência AFP, às 11:00 hoje, baseado em dados oficiais.

Entre esses casos, pelo menos 1.813.300 foram considerados curados.

Os Estados Unidos, que registaram a primeira morte ligada à covid-19 no início de fevereiro, são o país mais afetado em termos de número de mortes e casos, com 91.938 óbitos em 1.528.661 casos. Pelo menos 289.392 pessoas foram declaradas curadas.

Depois dos Estados Unidos, os países mais afetados são o Reino Unido, com 35.341 mortes para 248.818 casos, Itália com 32.169 mortes (226.699 casos), França com 28.022 mortes (180.809 casos) e Espanha com 27.778 óbitos (232.037 casos).

A China (excluindo os territórios de Hong Kong e Macau), onde a epidemia começou em dezembro, contabilizou 82.965 casos (cinco novos entre terça-feira e hoje), incluindo 4.634 mortes e 78.244 curados.

A Europa totalizou 168.725 mortes para 193.8946 casos e os Estados Unidos e Canadá 97.949 mortes (1.607.773 casos).

A América Latina e as Caraíbas registaram 32.386 mortes (578.921 casos). O Brasil regista mais de metade das mortes (17.971) e quase metade dos casos declarados oficialmente na região (271.628).

A Ásia totalizou 12.879 mortes (384.874 casos), o Médio Oriente 8.384 mortes (299.734 casos), África 2.919 mortes (91.443 casos) e Oceânia 128 mortes (8.426 casos).

Links úteis

Mapa com os casos a nível global

  • 2:55