Coronavírus

Coronavírus está a mudar, mas não está a perder força

Maria Van Kerkhove, principal responsável técnica da Organização Mundial de Saúde no combate à pandemia da Covid-19

Denis Balibouse

O alerta é da Organização Mundial de Saúde.

Especial Coronavírus

O novo coronavírus está a mudar, mas não perdeu potência, não se transmite menos nem a doença que provoca está menos grave, afirmou esta quinta-feira a principal responsável técnica da Organização Mundial de Saúde no combate à pandemia da covid-19.

"São mudanças naturais que se esperam de um vírus RNA, mudanças que esperamos. Não vimos nenhuma indicação de que estas mudanças signifiquem alguma mudança na transmissibilidade e na gravidade" da covid-19, afirmou Maria Van Kerkhove em conferência de imprensa a partir da sede da organização, em Genebra.

A epidemiologista norte-americana afirmou que "há um grande grupo de cientistas que está a olhar muito cuidadosamente para este vírus e para o que estas mudanças significam realmente, se é que significam alguma coisa".

Governo italiano admite segunda vaga da pandemia

O ministro da Saúde de Itália afirmou esta quinta-feira não poder afastar uma segunda vaga da pandemia de covid-19 no país e justificou as limitações aos viajantes de países fora da UE com a prevenção de novos contágios.

"A comunidade científica não descarta [uma segunda vaga] ", disse Roberto Speranza à televisão RAI.

"Esperamos que não aconteça, mas, perante o risco, devemos manter as regras de precaução, ou seja, usar máscara, evitar ajuntamentos e lavar as mãos", acrescentou, apontando também o reforço do sistema de saúde.

Portugal com mais 8 mortes e 328 novos casos de Covid-19

A Direção-Geral da Saúde (DGS) anunciou esta quinta-feira a existência de 1.587 mortes e 42782 casos de Covid-19 em Portugal desde o início da pandemia.

O número de óbitos subiu, de quarta para quinta-feira, de 1.579 para 1587, mais 8 em relação a ontem, enquanto o número de infetados aumentou de 42.454 para 42782, mais 328.

Há 28.097 pessoas recuperadas da doença, mais 299 que ontem.