Coronavírus

Mães com Covid-19 podem transmitir doença aos filhos no útero

Kim Kyung Hoon

De acordo com um estudo divulgado esta quinta-feira cujos autores dizem ter reunido "provas sólidas".

Especial Coronavírus

Mães infetadas com o novo coronavírus que provoca a doença covid-19 podem transmitir o vírus aos seus filhos ainda não nascidos, conclui um estudo divulgado esta quinta-feira cujos autores dizem ter reunido "provas sólidas".

Segundo os investigadores que realizaram o estudo, citados pela agência noticiosa francesa AFP, "embora tenha havido apenas casos isolados de bebés infetados com o novo coronavírus, esses resultados demonstram o vínculo mais forte até hoje na transmissão de mãe para filho".

A AFP relata que os investigadores estudaram 31 mulheres grávidas hospitalizadas com covid-19 e encontraram o vírus SARS-Cov-2 em placentas, no cordão umbilical, na vagina e no leite materno.

Os cientistas também identificaram anticorpos específicos da covid-19 em cordões umbilicais de várias mulheres, bem como em amostras de leite.

Claudio Fenizia, da Universidade de Milão e principal autor do estudo, disse à AFP que os resultados "sugerem fortemente" que a transmissão no útero é possível.

"Dada a quantidade de pessoas infetadas em todo o mundo, o número de mulheres que podem ser afetadas por esse fenómeno pode ser potencialmente muito alto", adiantou.

Nenhum dos bebés nascidos durante o período do estudo contraiu covid-19, disse, admitindo que "embora a transmissão no útero pareça possível, é muito cedo para avaliar claramente o risco e as possíveis consequências".

Obstetras discordam da DGS sobre partos de gravidas com Covid-19

A Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou no mês passado que as mães infetadas com o novo coronavírus devem continuar a amamentar.

"Sabemos que as crianças correm um risco relativamente baixo para a covid-19, mas correm alto risco para muitas outras doenças e condições que a amamentação impede", disse na altura o diretor geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus.

Entre outras descobertas, os investigadores identificaram uma resposta inflamatória específica desencadeada pela covid-19 no plasma sanguíneo da placenta e do cordão umbilical das mulheres estudadas, todas no terceiro trimestre de gravidez.

Claudio Fenizia adiantou que mais estudos estão em andamento entre as mulheres com covid-19 que estão em estágios iniciais da gravidez.

"O nosso estudo tem como objetivo aumentar a consciencialização e convidar a comunidade científica a considerar a gravidez em mulheres com covid-19 como um assunto urgente para caracterizar e analisar ainda mais", declarou Claudio Fenizia, sublinhando que "promover a prevenção é o conselho mais seguro que se pode dar a esses pacientes no momento".

O estudo foi divulgado na 23.ª Conferência Internacional da Sida, realizada esta semana, pela primeira vez na Internet devido à pandemia da covid-19.

Grávidas devem passar a fazer o teste à Covid-19 antes do parto

A pandemia de covid-19 já provocou mais de 550 mil mortos e infetou mais de 12 milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 1.644 pessoas das 45.277 confirmadas como infetadas, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

AS RECOMENDAÇÕES PARA GRÁVIDAS

O Núcleo de Estudos de Medicina Obstétrica apelou esta segunda-feira às grávidas para não se deslocarem aos hospitais, exceto em caso de urgência, e para os médicos da especialidade realizarem teleconsulta em vez de consulta presencial.

Para evitar o risco de infeção pelo novo coronavírus (SARS-Cov-2) em grávida, o Núcleo de Estudos de Medicina Obstétrica (NEMO) da Sociedade Portuguesa de Medicina Interna (SPMI) emitiu várias recomendações.

Segundo os especialistas em obstetrícia, as grávidas devem evitar dirigir-se aos centros hospitalares, exceto se estritamente necessário.

Veja também:

  • Covid-19. Conselho de Ministros anuncia hoje novas medidas

    Coronavírus

    Portugal resgista este sábado um novo máximo de internados em cuidados intensivos. O Conselho de Ministros está reunido e vai decretar "ações imediatas" de controlo da pandemia. O recolher obrigatório é uma das propostas do Governo. Os EUA continuam a ser o país mais afetado pela Covid-19. No Mundo há registo de mais de 45 milhões de infetados e 1,1 milhões de mortes.

    Ao Minuto

    SIC Notícias