Coronavírus

Covid-19 em Itália: Novos contágios registam quebra nas últimas 24 horas

Yara Nardi

Registados 13 mortos num dia.

Especial Coronavírus

Itália registou mais 13 mortes por covid-19 nas últimas 24 horas, um aumento em relação aos três óbitos contabilizados no domingo, enquanto os novos contágios pelo novo coronavírus desceram e situaram-se nos 190, anunciaram esta segunda-feira as autoridades italianas.

Com estes novos óbitos, o país totaliza 35.058 vítimas mortais desde o início da crise sanitária no país, em 21 de fevereiro, quando foi detetado o primeiro caso local da doença covid-19, indicaram os dados disponibilizados pelo Ministério da Saúde italiano.

No que diz respeito aos casos de infeção, e também desde o início da pandemia, Itália contabiliza, até à data, 244.634 pessoas que ficaram infetadas com o novo coronavírus.

Apesar destes 190 novos contágios representaram o número mais baixo em quatro dias (o balanço oficial divulgado no domingo dava conta de 218 novos contágios), a evolução da curva dos novos casos confirmados tem mantido um comportamento estável.

Atualmente, existem no país 12.404 casos ativos de infeção, dos quais a grande maioria (11.612) são doentes que estão isolados nas respetivas casas com sintomas leves ou que estão assintomáticos.

Um número total de 745 doentes está hospitalizado com diversos sintomas, incluindo 47 pessoas que se encontram em unidades de cuidados intensivos.

Lombardia sem mortos nas últimas 24 horas

A região da Lombardia (norte de Itália) continua a ser a zona do território italiano mais afetada pela pandemia.

As autoridades italianas realçaram, no entanto, que nenhuma vítima mortal foi registada nesta região nas últimas 24 horas.

Os mesmos dados avançaram que oito regiões do país, incluindo Valle d'Aosta (norte), Úmbria (centro) e Calábria (sul), não registaram nenhum contágio nas últimas 24 horas.

Lazio com casos importados

Na região de Lazio (centro), onde fica a capital Roma, foram detetados 14 novos casos positivos, dos quais 11 são casos importados, ou seja, pessoas que chegaram ao território italiano procedentes de outros países: quatro do Bangladesh, um da Venezuela, três da Índia, um do Montenegro, um da Roménia e outro da Tanzânia.

Um dos países europeus mais afetados pela atual pandemia, a Itália iniciou, em maio, um plano faseado de desconfinamento da população e uma retoma gradual da atividade económica, após mais de dois meses de confinamento.