Coronavírus

Portugal regista mais uma morte e 132 novos casos de Covid-19

Manu Fernandez

O último balanço da DGS.

Especial Coronavírus

Portugal regista hoje mais uma morte e mais 132 casos confirmados de Covid-19 em relação a domingo, segundo o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS), hoje divulgado.

De acordo com o boletim da DGS sobre a situação epidemiológica, desde o início da pandemia até hoje registaram-se 54.234 casos de infeção confirmados e 1.179 mortes.

Portugal regista hoje 39.800 casos recuperados, mais 103 em relação a ontem.

Há 336 pessoas internadas, mais 11 em relação a domingo. Nos cuidados intensivos estão 39 doentes.

Investigadores portugueses criam tecnologia que elimina a presença do novo coronavírus do ar

Num centro de inovação em Oliveira do Hospital foi criada uma tecnologia que promete eliminar a presença do novo coronavírus do ar, em espaços como aeroportos, quase na totalidade.

Segundo os investigadores, a sistema tem mais de 99% de eficiência, em apenas um minuto, e a aplicação do sistema pode mudar radicalmente a qualidade do ar em transportes coletivos como autocarros, comboios ou aviões. É também adaptável a espaços amplos como aeroportos, hospitais ou mesmo escolas.

A tecnologia ATmicroprotect pode ser usada para controlar vários tipos de vírus e bactérias. O desenvolvimento começou em meados de março no centro de investigação BLC3, numa parceria com as faculdades de farmácia de Coimbra e Lisboa, e o departamento de física da Universidade do Minho.

China aprova patente de vacina para a Covid-19, produção em massa apontada para breve

O Gabinete de Propriedade Intelectual do Estado Chinês aprovou a primeira patente de uma candidata a vacina contra a Covid-19, que pode "ser produzida em massa num curto período de tempo", informou esta segunda-feira a imprensa local.

A vacina, na terceira fase de testes, desenvolvida pelo Instituto Científico Militar e pela empresa biofarmacêutica chinesa CanSino Biologics, começou a ser usada no final de junho no Exército chinês, depois de uma equipa liderada pelo pesquisador Chen Wei descobrir um anticorpo monoclonal neutralizante altamente eficiente.

China Daily CDIC

Os resultados da segunda fase de testes clínicos da vacina mostraram que é segura e induz uma resposta imune contra o coronavírus, segundo uma investigação publicada no final de julho no The Lancet.

De acordo com a patente, a vacina mostrou uma "boa resposta imunológica em ratos e roedores, podendo induzir o organismo a produzir uma forte resposta imunitária celular e humoral em pouco tempo", noticiou o jornal cantonês Southern Metropolis.