Coronavírus

Secretário de Estado e diretora-geral da Saúde leram relatório sobre surto em Reguengos 

Ministra da Segurança Social admitiu que não ter lido o relatório. 

Especial Coronavírus

Ao contrário da ministra da Segurança Social, o secretário de Estado da Saúde e a diretora-geral da Saúde leram o relatório da Ordem dos Médicos sobre o surto de Covid-19 no lar de Reguengos de Monsaraz.

António Lacerda Sales diz que o documento está a ser analisado e a DGS afirma que ler o documento faz parte das obrigações.

A ministra da Segurança Social assumiu que não leu o relatório da Ordem dos Médicos sobre o surto que matou 18 pessoas no lar de Reguengos de Monsaraz. Em entrevista ao Expresso, Ana Mendes Godinho disse que o objetivo não é apurar responsabilidades.

Revelados novos detalhes do relatório

O primeiro caso de infeção no lar da Fundação Maria Inácia Silva foi registado a 17 de junho, mas a Segurança Social só visitou as instalações do lar de Reguengos de Monsaraz sete dias depois.

Como a SIC já tinha avançado infetados e não infetados partilharam quartos, casas de banho e corredores durante vários dias e o Plano Municipal de Emergência só foi ativado quando já havia quase 140 casos confirmados e 8 mortos.

O jornal Correio da Manhã avança agora, que consta na auditoria pedida pela Ordem dos Médicos, que haveria idosos apenas de fralda e em quartos sem condições de higiene, com vestígios de urina.

A VIDA DENTRO DO LAR DE REGUENGOS DE MONSARAZ

A SIC visitou o lar, que sofreu obras de remodelação, e vive uma nova normalidade bastante afetada por tudo o que aconteceu.