Coronavírus

Ministério Público abre inquérito sobre surto em Mora

ANDRE KOSTERS

Surto surgiu no dia 9 de agosto, quando foram confirmados os primeiros três casos positivos na comunidade.

Especial Coronavírus

O Ministério Público (MP) instaurou um inquérito sobre o surto de covid-19 na vila de Mora, no distrito de Évora, que já infetou 54 pessoas, revelou esta sexta-feira a Procuradoria-Geral da República (PGR).

Questionada pela agência Lusa, a PGR indicou que, no âmbito do inquérito, "não deixarão de ser investigados todos os factos que chegarem ao conhecimento do Ministério Público e que sejam suscetíveis de integrarem a prática de crime".

O presidente da Câmara de Mora, Luís Simão, disse esta sexta-feira desconhecer a instauração de um inquérito por parte do Ministério Público (MP) ao surto de covid-19, mas exortou ao apuramento de responsabilidades.

"Se abriu um inquérito e se houver alguém que se tenha comportado menos bem, que seja responsabilizado e sofra as consequências de um ato que não foi o mais adequado no momento em que vivemos. Se assim foi, que se apurem responsabilidades", afirmou Luís Simão em declarações à agência Lusa.

O inquérito é dirigido pelo MP do Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP) de Évora.

População de Mora confinada em casa

Este surto surgiu no dia 9 deste mês, quando foram confirmados os primeiros três casos positivos na comunidade, número que tem vindo a subir, todos os dias, à medida que vão sendo testados os contactos de pessoas infetadas.

A câmara ativou o Plano Municipal de Emergência e fechou, no início da semana passada, os serviços de atendimento ao público e outros equipamentos, como a Oficina da Criança, a Casa da Cultura, o Centro de Atividades de Tempos Livres e instalações desportivas.

Com a população confinada em casa, por precaução, fecharam também cafés, restaurantes e outros estabelecimentos comerciais.

"População tem sido extremamente responsável." Autarca de Mora recusa incumprimento das regras

O presidente da Câmara Municipal de Mora, em entrevista à SIC Notícias, na segunda-feira, recusou que a população tivesse relaxado durante o confinamento e diz que foram cumpridas as regras das autoridades.

"A população de Mora tem sido durante estes cinco meses extremamente responsável", disse Luís Simão, presidente da Câmara Municipal de Mora em entrevista à SIC Notícias.

Já o provedor da Santa Casa da Misericórdia de Mora considerou, também em entrevista à SIC Notícias na última segunda-feira, que o surto apareceu por causa do descuido da população da vila alentejana que deixou de ter os cuidados necessários, desvalorizando sintomas como febres altas.

A população adiantou que o surto teve origem num casal que se deslocou até à vila e que sabia ter testado positivo para a Covid-19.

Cinco pessoas nos cuidados intensivos

No Hospital do Espírito Santo de Évora (HESE), permanecem internados cinco doentes, quatro deles nos cuidados intensivos e um em enfermaria, referiu o presidente do município, corrigindo uma informação anterior dada à Lusa: "Não são todos homens, há uma mulher".

Fonte do HESE revelou à Lusa que os quatro doentes internados na Unidade de Cuidados Intensivos Covid, três homens e uma mulher, têm idades entre os 64 e os 69 anos, enquanto o doente hospitalizado em enfermaria, um homem, tem 89 anos.

Presidente da Câmara de Mora em isolamento

O autarca de Mora encontra-se em casa, desde quinta-feira e "durante alguns dias", por recomendação da Autoridade de Saúde, na sequência dos testes aos trabalhadores do município, esta semana, que revelaram dois infetados.

"O meu teste à covid-19 deu negativo, mas, como contactei com documentos passados pelos dois infetados na câmara, tenho de ficar aqui e estou a trabalhar a partir de casa", contou à Lusa.

Aliás, o encerramento ao público dos serviços municipais, determinado em despacho assinado por Luís Simão, "vai manter-se".

Segundo o autarca, os testes de rastreio à doença provocada pelo novo coronavírus SARS-CoV-2 realizados nos lares do concelho, nomeadamente nos de Mora, Cabeção e Pavia, "deram negativo", faltando apenas "receber os resultados do de Brotas".

"Os testes aos bombeiros de Mora também foram realizados na quinta-feira, os militares da GNR já foram todos testados e a operação de testagem na comunidade continua a decorrer", acrescentou.

  • 21:07