Coronavírus

SEF garante reforço de meios no aeroporto de Faro para colmatar aglomerações

Chegada simultânea de oito voos com mais de 800 passageiros provocou algomerações na zona de controlo documental.

Saiba mais...

As aglomerações de passageiros nas chegadas do aeroporto de Faro podem repetir-se se o controlo documental continuar na "zona de inverno", com cinco pontos de atendimento, advertiu hoje o Serviço de Estrangeiros e Fronteiras, que reforçou os meios no local.

Fonte do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) disse à agência Lusa que este organismo já concretizou um reforço de 12 inspetores para o aeroporto de Faro depois de, na quarta-feira, a chegada simultânea de oito voos, com mais de 800 pessoas, ter levado os passageiros a concentrar-se na zona do controlo documental, que este ano não passou a ser feita na "zona de verão", como é habitual.

Em comunicado, o SEF informa ainda que vão entrar em funcionamento já na próxima segunda-feira 16 e-gates de nova geração, que vão permitir um controlo de fronteira automatizado em menos de 20 segundos, na zona das partidas e das chegadas.

Reforço de meios tem de ser coordenada com gestão da ANA

A mesma fonte advertiu que o reforço de meios - a que se somará um novo aumento com outros 10 inspetores a partir de 1 de setembro - "não vai servir de nada" se a ANA, a empresa que faz a gestão dos aeroportos portugueses, "não fizer a passagem das chegadas da zona de inverno para a zona de verão, onde existem 10 postos de atendimento, em vez de cinco.

A indicação que o SEF tinha "até hoje de manhã da ANA é a de que não tenciona passar o atendimento da zona de inverno para a zona de verão", acrescentou a mesma fonte.

A Lusa está a tentar obter uma reação da ANA, mas ainda não conseguiu o contacto com a empresa.

Zona de Inverno "não se adequa a receber o exponencial crescimento do numero de passageiros"

"Atualmente, o controlo documental de passageiros no Aeroporto de Faro está a funcionar, por determinação da ANA Aeroportos, na chamada zona de inverno, que não se encontra adequada a receber o exponencial crescimento do número de passageiros (+190%), após a abertura do corredor aéreo com o Reino Unido", reconheceu o SEF num comunicado.

O Serviço de Estrangeiros e Fronteiras lembrou que a "zona de inverno" contempla "apenas cinco posições de controlo documental de passageiros na área de chegadas, não tendo a ANA Aeroportos ainda aberto a zona de verão", com "10 posições de controlo que permitiriam garantir maior celeridade no controlo de fronteira".

"Ainda assim, com o reforço de efetivo do SEF, operado esta semana, o Serviço assegurou já mais 12 inspetores afetos ao Aeroporto de Faro. E, a partir de 1 de setembro, haverá novo reforço de mais 10 inspetores", acrescenta a nota.

O SEF explicou que as fotografias que circulam nas redes sociais e que mostram uma acumulação de passageiros sem qualquer distanciamento social, na zona de chegadas de Faro, representam "uma situação pontual e circunscrita, registada em apenas uma hora, no dia 26 de agosto", porque "nesse período de tempo aterraram naquela estrutura aeroportuária oito voos, o que correspondeu a mais de 800 passageiros controlados na fronteira".

"No sentido de assegurar a articulação de estratégias e implementação de melhores soluções, sem nunca descurar a segurança no controlo documental exigida ao nível nacional e europeu, vão ainda entrar em funcionamento, já a partir da próxima segunda feira, 16 e-gates de nova geração, que irão possibilitar um controlo de fronteira automatizado e em menos de 20 segundos (oito localizadas na zona das partidas e oito nas chegadas)", anunciou ainda o SEF.

Veja também: