Coronavírus

Um bombeiro infetado e 15 de quarentena nos Voluntários de Guimarães

DENIS BALIBOUSE

Dos 15 bombeiros em quarentena, só "dois ou três" é que apresentam alguns sintomas.

Especial Coronavírus

Quinze bombeiros dos Voluntários de Guimarães estão de quarentena, depois de um outro operacional ter acusado positivo para a covid-19, disse esta sexta-feira o 2.º comandante da corporação à Lusa.

Segundo Joaquim Oliveira, o bombeiro infetado está internado no Hospital de Guimarães, mas encontra-se "estável".

Dos 15 bombeiros em quarentena, só "dois ou três" é que apresentam alguns sintomas, como febre ou falta de paladar.

"Já foram todos testados, estamos a aguardar os resultados", referiu Joaquim Oliveira.

O caso positivo foi registado na segunda-feira, quando o bombeiro infetado foi ao hospital com a filha, que acusou igualmente positivo.

Joaquim Oliveira admitiu que o caso terá tido origem fora do quartel.

Em relação ao serviço normal da corporação, o 2.º comandante adiantou que continua a ser assegurado "dentro da normalidade", graças à disponibilidade demonstrada pelos restantes bombeiros e pelos próprios elementos do comando.

Covid-19 em Portugal. Quatro mortes e 406 novos casos nas últimas 24 horas

A Direção-Geral da Saúde (DGS) anunciou esta sexta-feira a existência de 1.833 mortes e 59.457. casos de Covid-19 em Portugal, desde o início da pandemia.

O número de mortes subiu de 1.829 para 1.833, mais 4 do que na quinta-feira. Já o número de infetados aumentou de 59.051 para 59.457, mais 406.

O número de pessoas internadas é de 339, mais 5 do que ontem, e nos cuidados intensivos estão menos 4 doentes, num total de 40.

O número de doentes dados como recuperados de Covid-19 voltou a aumentar nas últimas 24 horas para 42.576, mais 149 do que na quinta-feira.

OMS ALERTA QUE VACINAÇÃO NÃO SERÁ GENERALIZADA ANTES DE MEADOS DE 2021

A Organização Mundial de Saúde disse hoje que a vacinação para a Covid-19 não será generalizada antes de meados do próximo ano. A principal razão prende-se com a eficácia e segurança comprovada da vacina.

"Não esperamos uma vacinação generalizada até meados do próximo ano", disse a porta-voz Margaret Harris aos jornalistas numa conferência de impresa em Genebra.

A porta-voz da OMS explica que a fase 3 dos testes poderá "levar mais tempo", por ser necessário "ver se a vacina é realmente protetora".

  • 15:42