Coronavírus

O alerta do primeiro-ministro: o país vai entrar "numa fase crítica"

JOSÉ COELHO

"Estamos num momento crucial", diz o primeiro-ministro.

Especial Coronavírus

O primeiro-ministro diz que o país não pode voltar a parar e que é preciso evitar, a todo o custo, as medidas adotadas em março e abril para travar a pandemia do novo coronavírus.

"Nós temos de evitar a todo custo as soluções que tivemos de adotar em março e abril porque, do ponto de vista social e económico, não são obviamente sustentáveis (…) Não podemos voltar a pararmos todos, a voltarmos a uma paralisação global da economia porque sabemos bem do impacto brutal que está a ter no emprego, no rendimento das famílias e nas vidas das empresas"

À entrada da reunião do Infarmed, no Porto, António Costa admitiu que nas próximas semanas o número de infetados poderá aumentar.

Primeiro-ministro alerta que o país vai entrar "numa fase crítica"

António Costa alertou que Portugal vai entrar "numa fase crítica" e apelou ao cumprimento das regras para controlar a pandemia.

Em causa está a mudança de estação, o regresso às aulas e o recomeço de muitas atividades.

"Vamos estar num momento crítico porque vai aumentar o número de pessoas em atividade, depois do regresso das férias, vamos entrar no outono e as aulas vão recomeçar, logo necessariamente o risco de contágio vai aumentar"

O primeiro-ministro lembrou ainda que se todos cumprirem as regras consegue-se controlar o aumento substancial da pandemia, o que é essencial para que não haja uma sobrecarga excessiva dos serviços de saúde.

JOSÉ COELHO

"Temos pela frente um contexto complexo"

A ministra da Saúde, que abriu a reunião da tarde desta segunda-feira, considera que Portugal enfrenta um contexto complexo face à pandemia de Covid-19 neste regresso do ano letivo.

Mas Marta Temido acredita também que "hoje Portugal está melhor preparado para enfrentar a próxima fase".

O regresso das reuniões do Infarmed

As reuniões do Infarmed são retomadas esta segunda-feira. O encontro, na cidade do Porto, entre especialistas, políticos e parceiros sociais para analisar a evolução da pandemia tem, pela primeira vez, transmissão aberta na internet.

Esta sessão - que marca o regresso daquelas que ficaram conhecidas como as “reuniões do Infarmed” -, de acordo com fonte do Governo, “será importante" para acertar as medidas a adotar a partir de 15 deste mês, quando o continente português, de forma preventiva, entrar em situação de contingência.

Desta vez no auditório da Faculdade de Medicina da Universidade Porto, o primeiro-ministro, António Costa, o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, e o presidente da Assembleia da República, Eduardo Ferro Rodrigues, voltam a juntar-se a líderes partidários e parceiros sociais para ouvir técnicos e especialistas sobre a situação da pandemia em Portugal.

Portugal com mais 3 mortes e 249 novos casos de Covid-19


A Direção-Geral da Saúde (DGS) anunciou esta segunda-feira a existência de 1.843 mortes e 60.507 casos de Covid-19 em Portugal, desde o início da pandemia.

O número de mortes subiu de 1.840 para 1.843, mais 3 do que no domingo. As vítimas mortais são da região de Lisboa e Vale do Tejo.

O número de infetados aumentou de 60.258 para 60.507, mais 249. O maior aumento de casos registou na região norte: há mais 133 infetados, segue-se Lisboa e Vale do Tejo com mais 85.