Coronavírus

Sánchez convoca Conselho de Ministros extraordinário para declarar estado de emergência em Madrid

Fernando Calvo

As novas medidas deverão ser anunciadas pelas autoridades de Madrid antes do início de um fim de semana alargado.

Especial Coronavírus

O primeiro-ministro espanhol, Pedro Sánchez, convocou para esta sexta-feira um Conselho de Ministros extraordinário para declarar o estado de emergência em Madrid, na sequência do grande aumento de infeções pelo novo coronavírus na capital espanhola.

A reunião governamental, confirmada pela agência espanhola Efe, junto de fontes do executivo, ocorre um dia após o Tribunal Superior de Justiça de Madrid ter rejeitado as medidas impostas pelo Governo central de restrição de movimentação das pessoas na capital de Espanha, para lutar contra o aumento dos casos de covid-19.

Entretanto, o líder do partido populista espanhol de extrema-direita Vox, Santiago Abascal, anunciou, na noite de quinta-feira, que irá convocar "uma nova marcha pela liberdade" se o Governo decretar estado de emergência em Madrid.

Santiago Abascal reagiu através das redes sociais advertindo que, "se o tirano Sánchez voltar a decretar um estado de emergência ilegal", convocará para segunda-feira, 12 de outubro, uma nova marcha pela liberdade.

Novas medidas anunciadas antes do fim de semana prolongado

As novas medidas deverão ser anunciadas pelas autoridades de Madrid antes do início de um fim de semana alargado, que termina com o feriado de segunda-feira, comemorativo do dia nacional de Espanha.

As autoridades receiam que centenas de milhares de madrilenos vão passar o fim de semana fora, depois de a Justiça ter anulado as medidas de restrição da mobilidade do Governo central.

Em Espanha, as autoridades regionais têm competência exclusiva em matéria de saúde e o Governo central não tem o poder de lhes determinar as suas decisões em matéria de saúde.

Espanha registou na quinta-feira 12.423 novos casos de covid-19, um quarto dos quais em Madrid, elevando para 848.324 o número total de infetados no país desde o início da pandemia, de acordo com a informação divulgada pelo Ministério da Saúde espanhol.

Veja também: