Coronavírus

A história das gémeas que desafiaram a vida depois da mãe ter estado em coma com covid-19

As duas bebés nasceram saudáveis a 7 de outubro.

Especial Coronavírus

Ava e Amélia são consideradas "bebés milagres". As gémeas nasceram em plena pandemia e a mãe esteve infetada com o novo coronavírus durante a gravidez.

Danielle, de 32 anos, no final de março já sabia que estava grávida quando ficou infetada, mas ainda não tinha realizado uma ecografia para saber se estava tudo bem com o bebé. Assim que começou a ter sintomas de covid-19, foi levada para as urgências. A situação agravou-se rapidamente e Danielle teve de ser induzida em coma.

"Ao início, só senti uma dor de garganta, que depois passou para o peito, mal conseguia respirar ao fim de seis dias. Bryan chamou uma ambulância que me levou ao hospital - eu estava apavorada. (...) Fiz exames e diagnosticaram-me com uma pneumonia grave. Colocaram-me um ventilador, estava a lutar para respirar e falar, era assustador. Assim que o teste à covid-19 deu positivo e os meus níveis de oxigénio caíram, fui colocada em coma induzido", contou Danielle ao jornal Metro.

Durante o tempo em que esteve em coma, os médicos perceberam que a vida do bebé poderia estar em risco. O pai, Bryan, conta que ligou para o hospital para saber novidades da situação de Danielle e os médicos disseram "que o bebé provavelmente não sobreviveria enquanto o corpo de Danielle tentava combater o vírus".

Foram 10 dias que Danielle passou em coma e foi nesse tempo que os médicos descobriram que afinal estava grávida de gémeos. Assim que despertou, mãe e pai puderam finalmente saber da novidade.

"Os médicos ligaram-me a dizer que ela saiu do coma e tinha sido transferida para a enfermaria, o que foi incrível, um grande alívio. (...) Eu tinha de falar com ela para perguntar sobre o bebé, mas nada me preparou para quando ela disse que afinal havia dois bebés! (...) Houve lágrimas o dia todo", conta Bryan.

Quase sete meses depois de Danielle ter despertado do coma induzido, nasceram as bebés, no dia 7 de outubro, e já estão em casa.

"Estamos muito felizes por tudo ter terminado bem, depois de um início tão complicado. A nossa família está finalmente reunida, feliz e saudável em casa", conta o pai.

Veja também: