Coronavírus

Portugal regista mais 7 mortes e 2.072 novos casos de Covid-19

Armando Franca

O número mais alto de casos diários desde o início da pandemia.

Especial Coronavírus

Portugal contabiliza esta quarta-feira mais 7 mortos relacionados com a Covid-19 e 2.072 novos casos de infeção com o novo coronavírus, segundo o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS).

Desde o início da pandemia, Portugal já registou 2.117 mortes e 91.193 casos de infeção, estando ativos 34.583 casos, mais 1.619 do que na terça-feira.

Relativamente aos internamentos hospitalares, o boletim revela que nas últimas 24 horas há mais 41 pessoas internadas totalizando 957, das quais 135 em cuidados intensivos (mais 3 em relação a terça-feira).

Nas últimas 24 horas, 446 doentes recuperaram totalizando 54.493 desde o início da pandemia.

A DGS indica que das sete mortes registadas, quatro ocorreram em Lisboa e Vale do Tejo e três na região Norte.

As autoridades de saúde têm em vigilância 50.544 contactos, mais 253 em relação a terça-feira.

Na região de Lisboa e Vale do Tejo foram notificados mais 802 novos casos de infeção, contabilizando 44.788 casos e 850 mortes.

A região Norte regista hoje mais 1001 novos casos de covid-19, somando 34. 661 casos e 932 mortos desde o início da pandemia.

Na região Centro, registaram-se mais 172 casos, contabilizando 7.348 infeções e 273 mortos.

No Alentejo foram registados mais 47 novos casos de covid-19, totalizando 1.724, com um total de 26 mortos desde o início da pandemia.

A região do Algarve tem hoje notificados mais 42 novos casos de infeção, somando 2.067 casos e 21 mortos.

Na Região Autónoma dos Açores foram registados cinco novos casos nas últimas 24 horas, num total de 305 infeções detetadas e 15 mortos desde o início da pandemia.

A Madeira registou três novos casos nas últimas 24 horas, contabilizando 300 infeções, sem óbitos até hoje.

Os casos confirmados distribuem-se por todas as faixas etárias, situando-se entre os 20 e os 59 anos o registo de maior número de infeções. A faixa etária 40 e os 49 é a que regista o valor mais elevado.

Do total de infetados desde o início da pandemia 41.533 são homens e 49.660 mulheres,

Relativamente ao total de vítimas mortais 1.061 eram homens e 1.056 mulheres.

O maior número de óbitos continua a concentrar-se nas pessoas com mais de 80 anos.

Governo ativa estado de calamidade em todo o país

O Conselho de Ministros decidiu esta quarta-feira elevar o nível de alerta em todo o território para estado de calamidade. Numa comunicação ao país, o primeiro-ministro classificou a evolução da pandemia no país como “grave”.

A partir das 24h00 de hoje entram em vigor uma série de novas medidas para controlar a propagação da pandemia. São elas:

  • Proibição de ajuntamentos na via pública de mais de 5 pessoas. Limitação aplica-se também a espaços comerciais e de restauração.

  • Limitação a máximo de 50 pessoas em eventos de natureza familiar como casamentos e batizados.

  • Proibidos festejos académicos e atividades de caráter não letivo.

  • Reforço das ações de fiscalização das forças de segurança e ASAE.
  • Agravamento até 10 mil euros das coimas às pessoas coletivas que não cumpram regras de lotação e distanciamento.

GOVERNO QUER IMPOR USO OBRIGATÓRIO DE MÁSCARA NA RUA

O primeiro-ministro informou ainda que irá apresentar à Assembleia da República uma proposta de lei para que seja obrigatório o uso de máscara na via pública, "com óbvio bom senso de só nos momentos em que há mais pessoas na rua".

OBRIGATORIEDADE DA APLICAÇÃO STAYAWAY COVID: PARA QUEM?

Na mesma proposta a entregar ao Parlamento, o Governo vai propor a obrigatoriedade da utilização da aplicação Stayaway Covid em contexto laboral, escolar, académico, nas Forças Armadas e de segurança e na administração pública.

António Costa explica que estas oito decisões visam reforçar o “sentido coletivo” de prevenir a propagação da pandemia e volta a lembrar que o sucesso do combate ao coronavírus só acontece através do comportamento individual de cada um.

AUMENTO DE CASOS ESTÁ A DEIXAR OS HOSPITAIS NO LIMITE

Os principais Hospitais de Lisboa e Porto estão debaixo de grande pressão devido ao aumento de doentes infetados com o coronavírus.

O hospital Curry Cabral tem mais doentes covid-19 do que no início da pandemia. O hospital de referência em Lisboa tem já enfermarias cheias e está a começar a usar unidades destinadas a cirurgia para acomodar doentes infetados. Também o hospital São José tem as camas de Cuidados Intensivos quase esgotadas. De 10 camas, tem ocupadas oito.

Em São José e no Curry Cabral estão mais de 80 doentes internados - entre os quais três crianças e uma grávida - e outros 12 nos Cuidados Intensivos.

No Porto, o Hospital de São João ativou o nível 3 de contingência - que implica o cancelamento de 20 por cento das cirurgias programadas - e cativou a unidade de campanha.

QUARENTENA DE DOENTES ASSINTOMÁTICOS BAIXA PARA 10 DIAS

A Direção-Geral da Saúde (DGS) emitiu esta quarta-feira uma nota onde atualiza as regras de levantamento de isolamento profilático de doentes assintomáticos.

As medidas determinam agora que um doente assintomático termine o isolamento ao fim de dez dias, ao contrários dos atuais 14.

Rafael Marchante

Europa à beira de novos confinamentos

Em Espanha, que está pela quarta vez em estado de emergência, sete mil polícias restringem os movimentos de quase quatro milhões de madrilenos.

Na Catalunha, a poucos dias do anúncio de novas medidas de restrição também para a região autónoma, os médicos cumprem o primeiro de quatro dias de greve por melhores condições e organização dos serviços.

No Reino Unido chovem críticas ao novo sistema de três zonas de risco anunciado. Os autarcas das zonas mais afetadas como Liverpool, Manchester ou algumas zonas de Londres contestam as medidas restritivas que podem asfixiar a economia.