Coronavírus

Sem máscara e sem distanciamento, Lisboa foi palco de uma manifestação contra as medidas restritivas

Houve aglomerados de pessoas, houve abraços, mas não houve máscara.

Especial Coronavírus

A OMS indica que o uso de máscara pode evitar até 281 mil mortes na Europa nos próximos 3 meses. Mas eles contestam.

Contestam também as medidas restritivas anunciadas pelo Governo e prometem avançar para a justiça.

A PSP esteve na manifestação. Dois agentes. Apelaram ao distanciamento, sem sucesso. E a organização não teme ser responsabilizada se daqui resultar um surto.

No manifesto divulgado, o grupo "Verdade Inconveniente" pede, além do "uso facultativo de máscaras", a revisão das "orientações para o ano escolar" e do "excesso de protecionismo nos lares e centros de acolhimento", bem como a "regularização dos serviços no Sistema Nacional de Saúde" e a "revogação do estado de calamidade", entre outras medidas.

O parlamento aprovou na sexta-feira, em votação final global, um projeto-lei do PSD que impõe o uso obrigatório de máscara em espaços públicos e que prevê coimas entre 100 e 500 euros para os incumpridores.

ESPECIAL CORONAVÍRUS