Coronavírus

Covid-19. Portugal com mais 39 mortes, 4.007 infetados e novo máximo em cuidados intensivos

ESTELA SILVA/ LUSA

De acordo com os dados divulgados pela DGS este sábado, há agora 286 doentes internados em Unidades de Cuidados Intensivos (UCI).

Especial Coronavírus

A Direção-Geral da Saúde (DGS) anunciou no boletim diário deste sábado que há mais 39 mortes e 4.007 novos casos de Covid-19 em Portugal.

O país regista também um novo máximo de pessoas internadas em Unidades de Cuidados Intensivos (UCI) desde o início da pandemia de Covid-19, com 286 pessoas hospitalizadas, segundo a DGS.

O valor máximo de internamentos em cuidados intensivos foi registado na sexta-feira, 30 de outubro, dia em que 275 pessoas estavam nestas unidades hospitalares com Covid-19.

Continuam ativos 58.492 casos, mais 1.137, e 2.831 pessoas recuperaram da doença em relação a sexta-feira.


No caso dos internamentos, o número de pessoas hospitalizadas continua a subir desde há mais de uma semana, sendo agora de 1.972 pessoas, mais 45 do que na sexta-feira, das quais 286 (mais 11) estão em Unidades de Cuidados Intensivos.

Dados por região

Das 39 mortes registadas, 23 ocorreram na região Norte, 12 em Lisboa e Vale do Tejo, duas na região Centro, uma no Alentejo e uma no Algarve.

As autoridades de saúde têm agora sob vigilância um total de 64.514 pessoas, menos 791 pessoas nas últimas 24 horas.

A região Norte continua a registar o maior número de novas infeções diárias, hoje com mais 1.900 casos, para um total de 63.327, e 1.111 mortos desde março, 23 dos quais desde a atualização dos dados na sexta-feira.

Na região de Lisboa e Vale do Tejo foram notificados mais 1.406 novos casos de infeção, contabilizando a região um total acumulado de 59.343 casos e 992 mortes, das quais 12 nas últimas 24 horas.

Na região Centro registaram-se 552 novos casos, contabilizando 12.287, e 314 mortos, mais dois do que na véspera.

Ao Alentejo, o relatório atribui mais 61 novos casos de infeção, totalizando 2.734, e um novo óbito, para um total de 47.

A região do Algarve tem hoje notificados mais 80 casos de infeção, somando 2.779 casos, e um novo óbito, que eleva para 28 o total de mortes relacionadas à Covid-19 desde março.

Na Região Autónoma dos Açores foram notificados mais três casos nas últimas 24 horas, somando 369 infeções detetadas e 15 mortos desde o início da pandemia.

A Madeira registou cinco novos casos nas últimas 24 horas, contabilizando 440 infeções, sem registo de óbitos por Covid-19 até hoje.

Maior número de infeções entre os 20 e os 58 anos

Os casos confirmados distribuem-se por todas as faixas etárias, situando-se entre os 20 e os 59 anos o registo de maior número de infeções.

No total, o novo coronavírus já afetou em Portugal pelo menos 64.111 homens e 77.168 mulheres, de acordo com os casos declarados.

Do total de vítimas mortais, 1.287 eram homens e 1.220 mulheres.

O maior número de óbitos continua a concentrar-se nas pessoas com mais de 80 anos.

Números em crescendo desde 8 de outubro

Portugal tinha ultrapassado na sexta-feira todos os máximos desde o início da pandemia Covid-19 com o registo de 40 mortos, 4.656 infetados e 1.927 doentes internados, 275 dos quais em cuidados intensivos, segundo a DGS.

O país tinha ultrapassado a barreira das 1.000 infeções diárias em 8 de outubro, atingindo 1.278 casos, um valor apenas registado a 10 de abril quando foram notificados 1.516 novos casos.

Desde 8 de outubro os números foram sempre em crescendo, ultrapassando pela primeira vez as duas mil infeções a 14 de outubro (2.072 casos), as três mil em 22 de outubro (3.270) e as 4.000 na quinta-feira, dia 29 de outubro.

No que respeita aos internamentos, no início da pandemia Portugal registou um máximo em abril com 1.302 pessoas internadas, valor superado em 22 de outubro, com a existência de 1.365 casos de internamento tendo hoje chegado aos 1.927.

Conselho de Ministros reúne-se para decretar novas medidas

O Conselho de Ministros reúne-se este sábado para decretar "ações imediatas" de controlo da pandemia, um dia depois de o primeiro-ministro ter recebido os partidos com assento parlamentar com vista a um consenso sobre estas decisões.

Perante o agravamento da situação a nível nacional, o primeiro-ministro reuniu-se sexta-feira com os partidos com assento parlamentar, enquanto o ministro da Economia recebeu os parceiros sociais sobre as possíveis medidas de contenção.

"Não excluímos à partida nenhuma medida possível, mas entendemos que devemos adotar as medidas que perturbem o mínimo possível a vida pessoal, social e económica. Devemos ter em conta um segundo elemento que tenho procurado transmitir: Estamos perante uma corrida de longo curso e, portanto, não podemos gastar todo o esforço nem todas as medidas nos primeiros momentos", disse na quinta-feira António Costa.

"Nem pensar esperar por dezembro"

O diretor do serviço de Medicina Intensiva do Hospital de São João, no Porto, e presidente do Colégio de Medicina Intensiva da Ordem dos Médicos, José Luís Paiva, considerou que as medidas para conter o aumento de casos de Covid-19 em Portugal têm de ser tomadas "agora".

Questionado sobre o possível confinamento nas duas primeiras semanas de dezembro, o responsável afirmou que a "janela de tempo" para atuar com medidas de restrição social "é extremamente curta".

  • O primeiro dia de Web Summit 

    Web Summit

    Acompanhe aqui as palestras do palco principal. Neste primeiro dia, passam pelo palco nomes como Paddy Cosgrave, CEO e fundador da Web Summit, o primeiro-ministro António Costa, Ursula von der Leyen, presidente da Comissão Europeia, ou a atriz Gwyneth Paltrow.

    Em Direto

    SIC Notícias