Coronavírus

Covid-19: Grécia regressa ao confinamento a partir de sábado

Alkis Konstantinidis

Deverá durar três semanas.

Especial Coronavírus

A Grécia vai regressar ao confinamento no sábado de manhã e durante três semanas, anunciou hoje o primeiro-ministro grego, Kyriakos Mitsotakis numa videoconferência, sublinhando a necessidade de conter a segunda vaga da pandemia que atinge o país.

"Foi uma decisão difícil", mas "as medidas devem ser tomadas durante três semanas para vencer a segunda vaga" do coronavírus, indicou Mitsotakis, segundo o qual os gregos só poderão sair de casa depois de serem autorizados a fazê-lo através de uma mensagem de texto recebida no telemóvel.

O confinamento deve começar às 06:00 locais (04:00 em Lisboa) de sábado. Apenas as "lojas essenciais", incluindo supermercados e farmácias, ficarão abertas, disse o chefe do Governo.

Para sair de casa, será necessário indicar o motivo e o horário por SMS e obter autorização das autoridades pela mesma via.

Ao contrário do que aconteceu durante o primeiro confinamento imposto durante seis semanas no final de março, "as creches e escolas primárias continuarão abertas", indicou Mitsotakis.

Para os restantes alunos recomeçará o ensino à distância. Os universitários já se encontram nessa modalidade.

O novo confinamento acontece numa altura em que o número de mortos e de infetados pelo novo coronavírus aumenta diariamente.

Nas últimas 24 horas registaram-se 2.646 casos e 18 mortes ligadas à covid-19, significativamente acima dos valores diários da semana passada.

Mas é sobretudo o número de doentes nos cuidados intensivos que preocupa as autoridades devido à capacidade do sistema de saúde: os intubados duplicaram num mês, passando de 82 pessoas em 04 de outubro para 169 na quarta-feira.

"Nos últimos cinco dias assistimos a um aumento perigoso do número de mortos e da ocupação de (camas) em cuidados intensivos", disse o primeiro-ministro, justificando a tomada da decisão neste momento.

No total, a Grécia conta com 673 mortos e quase 47.000 infetados.

Número de mortes em todo o mundo ultrapassa 1,2 milhões

A pandemia de covid-19 já provocou mais de 1,2 milhões de mortos em mais de 47,5 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência de notícias France-Presse (AFP).

Cerca de 1 em cada 5 mortes têm lugar nos EUA, o país mais afetado no mundo, com 9.477.239 casos e 233.650 de mortes.

Alguns países só testam os casos graves, outros utilizam os testes sobretudo para rastreamento e muitos países pobres dispõem de capacidades limitadas de testagem.

Portugal tem 2.694 mortos e 156.940 casos desde o início da pandemia

A Direção-Geral da Saúde (DGS) anunciou no boletim diário desta quarta-feira que há mais 59 mortes e 7.497 novos casos de Covid-19 em Portugal. No total, o país regista 2.694 vítimas mortais e 156.940 infetados pelo novo coronavírus.

A DGS explicou que dados apresentados no relatório desta quarta-feira incluem o somatório de 3.570 casos, decorrentes do atraso no reporte laboratorial, principalmente de um laboratório na região Norte, desde o dia 30 de outubro.

Links úteis

Mapa com os casos a nível global