Coronavírus

Covid-19. "Duro" e "difícil de escolher", Costa assume escolha pelo "mal menor"

Ana Geraldes

Ana Geraldes

Jornalista

Primeiro-ministro insiste na "responsabilidade individual" no cumprimento das medidas do Estado de Emergência

Especial Coronavírus

António Costa deslocou-se esta manhã a Évora, para ver a ministra da Saúde assinar o contrato das obras do novo hospital Central do Alentejo. Na primeira manhã do país, de novo, em Estado de Emergência, o Primeiro-ministro nada disse sobre as exceções que o despacho do Governo prevê na medida de recolher obrigatório. Mas fez questão de reafirmar que o combate à pandemia não se faz "sem dor" e admitir que não há propriamente uma "alternativa".

"É duro, perturba muito a nossa vida, é verdade", reconheceu António Costa, considerando que, neste momento, há que agir "a montante" da resposta do Serviço Nacional de Saúde, isto é travar os contágios.

Quase como quem justifica a forma como o Governo teve que avançar para a decisão de restringir a circulação nos 121 concelhos de maior transmissão, Costa disse que "ter que escolher entre o confinamento durante toda a semana, é difícil escolher, mas temos que escolher qual é o mal menor".

Depois de ter anunciado, no sábado à noite, as medidas mais duras decididas pelo Conselho de Ministros e afirmado que os portugueses teriam que optar por fazer as deslocações que necessitassem fora das horas em que está estabelecido que têm que ficar em casa, o despacho do Governo, publicado em Diário da República prevê uma lista de exceções: 13, entre as quais se inclui a ida à mercearia, supermercado ou outro estabelecimento de venda de bens alimentares ou higiene.

Além de situações de saúde, assistência e motivos familiares mais imperativas, fica autorizado a saída para passeios "higiénicos" e de animais de estimação, de curta duração, a pé, e sozinho ou na companhia de pessoas que vivam na mesma casa.

Veja também:

  • O primeiro dia de Web Summit 

    Web Summit

    Acompanhe aqui as palestras do palco principal. Neste primeiro dia, passam pelo palco nomes como Paddy Cosgrave, CEO e fundador da Web Summit, o primeiro-ministro António Costa, Ursula von der Leyen, presidente da Comissão Europeia, ou a atriz Gwyneth Paltrow.

    Em Direto

    SIC Notícias