Coronavírus

Covid-19. Estudo aponta erros e omissões nos dados divulgados pela DGS

Investigadores sugerem alterações ao sistema para evitar o registo de erros.

Especial Coronavírus

Os investigadores da Faculdade de Medicina da Universidade do Porto apontam erros e omissões a dados fornecidos pela Direção-Geral da Saúde sobre a pandemia de Covid-19 em Portugal. Segundo os especialistas em análise estatística dizem que má qualidade dos dados pode levar a más direções no tratamento dos doentes com fatores de risco.

Num estudo publicado esta segunda-feira na revista científica Journal of Clinical Medicine, os profissionais propõem alterações no formulário preenchido pelos médicos e um cruzamento de dados proporcionado por sistemas automáticos para evitar o registo de erros.

Com uma carreira de mais de 20 anos na análise de dados, os investigadores disponibilizaram-se para ajudar a DGS no tratamentos dos dados. Mas receberam em resposta duas bases de dados uma em abril com 20.293 casos e uma atualização em agosto com dados até junho. Vários erros saltaram logo à vista, como o conhecido caso do homem grávido.

O homem grávido é o caso que a gente sabe que está errado e, por isso, esse eu não preciso de ninguém que me diga. Eu sei que está aqui um erro. O problema são todos os outros que eu não sei se estão certos ou estão errados, mas porque existem casos deste eu começo a pôr em causa, diz Ricardo Cruz Correia, investigador na Faculdade de Medicina da Universidade do Porto.

Veja também:

  • 1:44