Coronavírus

Governo pondera fechar fronteiras entre concelhos nos fins de semana alargados de dezembro 

JOSÉ COELHO

Entre as exceções estará a salvaguarda dos direitos políticos, o que permite a realização do congresso do PCP.

O Governo está a ponderar aumentar o controlo da circulação entre concelhos nos fins de semana alargados do 1 e 8 de dezembro.

É uma das possibilidades para evitar os encontros familiares e travar a propagação da pandemia do novo coronavírus, numa altura em que é esperado um pico de internamentos por covid-19.

De acordo com o Jornal de Notícias, estarão previstas exceções que podem abranger trabalhadores e estudantes. Estarão ainda salvaguardados os direitos políticos de forma a garantir a realização do congresso do PCP. O Governo estará também a equacionar a antecipação em uma semana das férias escolares do Natal.

Estas são algumas das alternativas que deverão ser abordadas esta quinta-feira na reunião do Infarmed e depois no Conselho de Ministros.

Covid-19. Há 28 concelhos com mais de 960 casos por 100 mil habitantes

Os concelhos com mais de 960 casos ativos de covid-19 por 100 mil habitantes nos últimos 14 dias deverão manter as regras mais apertadas de recolher obrigatório ou até ver as medidas agravadas.

Em Portugal, há dois concelhos com mais de 3.000 casos por 100 mil habitantes, quatro que estão entre os 2.000 e os 3.000 casos e seis entre os 1.500 e 1.900.

O Presidente da República prepara-se para criar, através do decreto de renovação do estado de emergência, três níveis de restrições que irão ser aplicadas consoante o risco de cada concelho.

A ministra da Saúde, Marta Temido, adiou o anúncio das novas regras, que já tinham sido prometidas pelo primeiro-ministro. António costa quer aumentar o grau de exigência nos concelhos mais afetados pela pandemia de covid-19.

  • O planeta em que todos vivemos

    Futuro Hoje

    O Planeta Lourenço terá que ser ainda mais simples e eficaz na mensagem. É um risco. Frequentemente, quando me mostram aparelhos ou programas as coisas falham, é o que chamo de síndrome da demonstração. Mas isto acontece na vida real, é assim que vamos fazer.

    Opinião

    Lourenço Medeiros