Coronavírus

Vacina da Covid-19. OMS afirma que profissionais da saúde e idosos terão prioridade

Dado Ruvic

Garantia foi dada pelo secretário-geral da Organização Mundial de Saúde.

Saiba mais...

O secretário-geral da Organização Mundial de Saúde (OMS) afirmou esta sexta-feira que quando começarem a ser distribuídas vacinas contra a covid-19 "os trabalhadores da saúde, os idosos e outros grupos de risco serão considerados prioritários para a vacinação".

Tedros Adhanom Ghebreyesus falava uma conferência de imprensa virtual, a partir de Genebra, sobre a pandemia de covid-19, durante a qual salientou a importância dos testes e disse que estão a ser avaliados mais de 50 diagnósticos, incluindo testes autoadministrados.

"À medida que as vacinas forem sendo lançadas, os testes continuarão a desempenhar um papel vital", disse, acrescentando: "Inicialmente, os trabalhadores da saúde, os idosos e outros grupos de risco serão considerados prioritários para a vacinação".

Segundo o responsável essa situação ainda deixará "muito espaço de manobra" ao vírus, pelo que os testes continuarão a ser "um instrumento vital" para controlar a pandemia.

Estão definidos os grupos para a vacinação contra a Covid-19

A questão de quem deve ter prioridade nas vacinas à covid-19 gerou polémica em Portugal, com a possibilidade, noticiada na imprensa, de que maiores de 75 anos sem comorbilidades ficavam de fora do acesso prioritário à vacina.

O Presidente da República considerou-a uma "ideia tonta" e o primeiro-ministro já rejeitou essa possibilidade.

A questão surgiu por haver uma proposta de especialistas da Direção-Geral da Saúde (DGS) de que pessoas entre os 50 e os 75 anos com doenças graves, funcionários e utentes de lares de idosos e profissionais de saúde devem ser os primeiros a ser vacinados.