Coronavírus

Portugal regista 72 mortes e 2.401 casos de Covid-19 nas últimas 24 horas

Lisboa

Armando Franca

País ultrapassou barreira dos 300 mil infetados desde o início da pandemia, mas registou o número mais baixo de novos casos diários desde 20 de outubro, dia em que houve 1.876 novos infetados.

Saiba mais...

Portugal registou nas últimas 24 horas mais 2.401 casos de infeção e mais 72 mortes associadas à doença covid-19, segundo o boletim da Direção-Geral da Saúde (DGS) desta terça-feira.

Desde o início da pandemia morreram em Portugal 4.577 pessoas, dos 300.462 casos de infeção confirmados.

Há menos 4 doentes internados nas Unidades de Cuidados Intensivos, totalizando 521. Em relação aos internamentos em enfermaria, há menos 67 pessoas internadas, totalizando agora 3.275.

A DGS revela que estão ativos menos 5.606 casos de infeção em relação a segunda-feira, num total de 75.008. Foram dados como recuperados mais 7.935 doentes, 220.877 desde o início da pandemia.

As autoridades de saúde têm agora sob vigilância 79.963 pessoas, menos 1.514.

No que diz respeito aos 2.401 novos casos, 1.300 registam-se na região Norte, 538 em Lisboa e Vale do Tejo, 349 na região Centro, 129 no Alentejo, 48 no Algarve, 17 nos Açores e 20 na Madeira.

Das 72 mortes a lamentar nas últimas 24 horas, 43 ocorreram na região Norte, 11 em Lisboa e Vale do Tejo, 13 na região Centro, 3 no Alentejo e duas no Algarve.

DADOS POR GÉNERO E FAIXA ETÁRIA

Os casos confirmados distribuem-se por todas as faixas etárias, situando-se entre os 20 e os 59 anos o registo de maior número de infeções.

O novo coronavírus já infetou em Portugal pelo menos 133.581 homens e 162.700 mulheres, de acordo com os casos declarados.

O boletim de hoje refere que há 5.181 casos confirmados de sexos desconhecidos que se encontram sob investigação, uma vez que estes dados não são fornecidos de uma forma automática.

Do total de vítimas mortais, 2.379 eram homens e 2.198 mulheres.

O maior número de óbitos continua a concentrar-se nas pessoas com mais de 80 anos.

Estado de emergência. Presidente da República fala ao país na sexta-feira

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, fala ao país na próxima sexta-feira, dia 4, às 20:00, depois de o Parlamento aprovar a renovação do estado de emergência, para fazer face à pandemia de covid-19.

A notícia é avançada pela Rádio Renascença, que adianta que o decreto, divulgado na quinta-feira, está a ser preparado e deverá ser semelhante ao que está atualmente em vigor.

O atual período de emergência termina às 23:59 de 8 de dezembro. Se for renovado por mais 15 dias, o novo estado de emergência terá início às 00:00 de 9 de dezembro e vai terminar às 23:59 de dia 23 de dezembro.

Perante a proximidade com a época festiva, Marcelo Rebelo de Sousa já assegurou que os portugueses não terão de esperar pela avaliação do que acontece nesses 15 dias "para saberem o que é que vão fazer durante o Natal".

OMS AVISA QUE ESTAR COM A FAMÍLIA E AMIGOS NO NATAL É COLOCAR EM RISCO A SAÚDE DE TODOS

A Organização Mundial de Saúde diz que não é tempo de as pessoas se aproximarem e que as comemorações têm de ser adaptadas.

Apontando para a época festiva de dezembro, comum a "muitas culturas e países", o diretor-geral da Organização Mundial de Saúde (OMS), Tedros Ghebreyesus, afirmou esta segunda-feira que "estar com família e amigos não justifica colocar ninguém em risco".

"A pandemia mudará como se celebra, mas não significa que não se possa celebrar", declarou, defendendo que um dos cuidados principais será evitar viagens e recomendando que se celebre dentro de cada agregado familiar "evitando ajuntamentos com agregados familiares diferentes".

Se se juntarem vários agregados, deverão fazê-lo "no exterior, se possível", e devem também evitar-se "centros comerciais cheios", optando por alturas em que haja menos aglomerados ou por fazer compras pela Internet.

  • 29:00