Coronavírus

"Acordos à margem da UE para compra de vacinas não podem pôr em causa esforço europeu"

JOSE SENA GOULAO

Ministra da Saúde Marta Temido em entrevista à agência Reuters.

Especial Coronavírus

Acordos para a compra de vacinas para a covid-19 à margem da União Europeia não podem prejudicar as encomendas conjuntas do bloco, disse a ministra da Saúde de Portugal, que ocupa a presidência de seis meses da UE.

Para Marta Temido, a UE deveria fazer o máximo esforço para conseguir uma abordagem conjunta para combater a pandemia do coronavírus­ - inclusive na compra de vacinas.

Tal não impede que os Estados-membros tomem outras medidas por conta própria se considerarem necessárias, disse, mas enfatizou que quaisquer acordos paralelos de compra de vacinas "não poderiam colocar em risco" o que já foi acordado no que respeita a compras conjuntas.

UE aumenta contrato com a Pfizer/BioNTech para compra de mais 300 milhões de doses da vacina

A Comissão negociou a extensão do contrato com a Pfizer e BioNTech, à qual já adquirira 300 milhões de doses da vacina, permitindo assim duplicar esse número, e salientou que 75 milhões destas doses adicionais estarão disponíveis "já a partir do segundo trimestre", sendo as restantes entregues no terceiro e no quarto trimestres.

Com as vacinas da Pfizer e BioNTech já garantidas, associadas às 150 milhões de doses da vacina desenvolvida pela farmacêutica Moderna -- a segunda a ser aprovada pela Agência Europeia do Medicamento (EMA) e pela Comissão para utilização na UE -, Bruxelas já garantiu assim "um número de doses que permite vacinar 380 milhões de europeus, mas de 80% da população europeia", sublinhou Von der Leyen.

"Temos muitos projetos para o ano de 2021, e isso é particularmente verdadeiro para a reconstrução económica. Mas tudo isso pressupõe que vamos conseguir vencer a pandemia. Para tal, devemos vacinar o maior número de europeus e europeias o mais rapidamente possível. E por isso é que estou feliz com este desenvolvimento muito positivo hoje", afirmou.

Mais de 60 mil doses da vacina da Pfizer já foram distribuídas em Portugal

Das mais de 140 mil doses de vacinas que chegaram a Portugal, a 6 de janeiro mais de 60 mil doses já foram distribuídas e tinham sido vacinadas mais de 32 mil pessoas. De acordo com a ministra da Saúde, para já está prevista a toma da segunda dose passados 21 dias de ter sido inoculada a primeira.

A vacina da Moderna começa a ser entregue em Portugal na próxima semana (260 mil unidades até março) e está pronta a usar.

Portugal com 7.472 mortes e 456.533 casos de covid-19

Portugal contabiliza esta quinta-feira mais 95 mortes relacionadas com a covid-19 e 9.927 novos casos de infeção com o novo coronavírus, segundo o relatório diário da Direção-Geral da Saúde (DGS).

Desde o início da pandemia, Portugal já registou 7.472 mortes e 456.533 casos de infeção pelo vírus SARS-CoV-2, estando esta quinta-feira ativos 93.360 casos, mais 6.356 em relação a ontem.

Quanto aos internamentos hospitalares, o boletim epidemiológico da DGS revela que estão internadas 3.333 pessoas, mais 40 do que ontem, e 514 em cuidados intensivos, mais 1.

Pandemia já matou pelo menos 1.88 milhões de pessoas e infetou mais de 87,1 milhões

A pandemia de covid-19 provocou pelo menos 1.884.187 mortos resultantes de mais de 87,1 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Os países que registaram o maior número de mortes são os Estados Unidos, Brasil e México.

Links úteis

Mapa com os casos a nível global

  • 2:34