Coronavírus

Disparou a afluência às urgências na Grande Lisboa e a gravidade em que os doentes chegam

Os hospitais da Grande Lisboa estão a acusar a pressão.

Saiba mais...

Os hospitais da Grande Lisboa estão a acusar a pressão e, por isso, estão a aumentar a capacidade de admissão, acima do que se previa para esta altura. O fim de semana foi duro para os profissionais de saúde, que tiveram de lidar com filas de acesso às urgências em várias unidades hospitalares.

A afluência às urgências hospitalares disparou e a gravidade em que os doentes chegam também, o que tem dificultado o trabalho dos profissionais de saúde.

Os especialistas já esperavam um pico para o dia 24 de janeiro, mas a realidade superou as expectativas, pelo que se a necessidade de cuidados urgentes continuar a este ritmo, a capacidade de atendimento esgota-se.

Nesta altura o Hospital de Santa Maria tem um total de 216 internados, 45 em cuidados intensivos. À medida das necessidades vão abrindo mais vagas. Já passaram de 160 para 200 camas e os cuidados intensivos também vão disponibilizar esta semana 58.

O Hospital Beatriz Ângelo, em Loures, conta com 201 internados, 182 em enfermaria e 19 nos cuidados intensivos. Destes, 14 necessitam de ventilador.

No Hospital de Cascais a situação foi dura durante o fim de semana. Esta segunda-feira, o hospital anunciava que tinha a capacidade covid-19 ocupada a 100%.

O Centro Hospitalar Lisboa Central regista, no início desta semana, 248 internamentos, mais sete do que no fim de domingo: 205 em enfermaria, 43 em cuidados intensivos, mais quatro do que no fim de semana. Ao todo tem capacidade para 253 doentes covid, restando por isso cinco camas.

O Amadora- Sintra, esta segunda-feira, soma já 209 doentes infetados pelo novo coronavírus.