Coronavírus

"Que confinamento? Aqui não há confinamento"

No quarto dia de confinamento geral, em Lisboa foram muitos os que não ficaram em casa.

Saiba mais...

A ordem é para ficar em casa e sair apenas em situações estritamente necessárias, mas esta manhã, em Lisboa, parecia um dia normal, sem confinamento.

Ana Fernandes tem um quiosque na zona de Benfica e, por isso, conhece bem o movimento que esta rua tem todos os dias.

Portugal com mais 167 mortes e 6.702 casos de covid-19 nas últimas 24 horas

Portugal regista esta segunda-feira mais 167 mortes relacionadas com a covid-19 - um novo máximo diário - e 6.702 novos casos de infeção com o novo coronavírus, segundo o boletim da Direção-Geral da Saúde.

Desde o início da pandemia, Portugal já registou 9.028 mortes e 556.503 casos de infeção pelo vírus SARS-CoV-2, estando esta segunda-feira ativos mais 1.875 casos, num total de 135.886.

Quanto aos internamentos hospitalares, o boletim epidemiológico da DGS revela que estão internados 5.165 doentes, mais 276 em relação a domingo, das quais 664 em cuidados intensivos, mais 17.

As autoridades de saúde têm sob vigilância 166.235 contactos, mais 5.115 relativamente a ontem.

O boletim revela ainda que foram dados como recuperados mais 4.660 doentes. Desde o início da pandemia em Portugal, em março, já recuperaram 411.589 pessoas.

Veja também:

  • Mussolini: o pai dos populistas

    Extremos

    Antonio Scurati descreve Mussolini como "o primeiro líder populista da História". O líder fascista "é sem dúvida um ditador, mas foi também o ideólogo da tipologia de liderança populista que ainda hoje domina a cena política", conta o professor e investigador italiano à equipa Extremos

    Maria Rodrigues e Rita Murtinho